Chefe da Ferrari vê pontos positivos na Rússia: “Fomos mais competitivos na corrida”

Com Charles Leclerc, a Ferrari garantiu o sexto lugar em Sóchi no último domingo, enquanto Sebastian Vettel ficou novamente fora da zona de pontuação, em 13º

Em uma corrida que teve a Mercedes como grande protagonista, a Ferrari quase não apareceu no GP da Rússia do último domingo (27). Charles Leclerc terminou na sexta colocação — o melhor resultado do monegasco desde o quarto lugar no GP dos 70 Anos —, enquanto Sebastian Vettel, que reclamou de ter sido feito escudeiro do companheiro de equipe em Sóchi, foi o 13º, completando a quinta de dez corridas na temporada fora da zona dos pontos. Mattia Binotto, chefe da escuderia de Maranello, conseguiu enxergar pontos positivos na jornada do último fim de semana.

“O primeiro é o resultado. O segundo eu acho que é relativo ao ritmo na corrida. Certamente, com Charles. Foi mais difícil com Sebastian hoje por ter ficado mais tempo no tráfego, largando atrás do grid… Mas eu acho que, na comparação com as últimas provas, ao menos fomos um pouco mais competitivos na corrida”, salientou o ítalo-suíço em resposta ao site britânico RaceFans.

A Ferrari mudou do vinho para a água quando se compara a performance em Sóchi no ano passado, impulsionada pelo controverso motor, e nesta temporada. Em 2019, Leclerc garantiu a pole-position com 1min31s628 como melhor tempo. No último sábado, o monegasco não passou da 11ª posição no grid de largada depois de registrar 1min33s239. Diferença de 1s611.

CHARLES LECLERC; SEBASTIAN VETTEL; GP DA RÚSSIA; SÓCHI;
Charles Leclerc e Sebastian Vettel tiveram resultados bem distintos na Rússia (Foto: Ferrari)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Para o fim de semana na Rússia, a escuderia italiana providenciou pequenas atualizações na SF1000 para procurar garantir um pouco mais de eficiência aerodinâmica. Mas Binotto entende que a performance não foi influenciada pelas novas peças.

“Não, não acho que seja pelas atualizações. Esse não é o motivo. Acho que nós tivemos um melhor equilíbrio aqui em razão das características da pista. Então, vamos esperar mais uma vez ter encontrado alguma competitividade que vai nos dar a oportunidade de, pelo menos, os dois pilotos lutarem por uma melhor posição no futuro”, explicou.

“Trouxemos algumas novas atualizações, não é um grande passo em frente, não é o bastante, estamos totalmente cientes disso. Mas é importante seguir no rumo certo para o restante da temporada”, complementou.

Para o GP de Eifel, prova que vai ser realizada em 11 de outubro no circuito alemão de Nürburgring, a Ferrari vai levar mais algumas peças novas, mas Binotto tratou de frear as expectativas sobre um grande salto de performance.

“Vamos ter mais algumas atualizações em Nürburgring, mas, de novo: não grande, mas acho importante para nós levando em conta nosso nível de competitividade. Então, vamos focar principalmente no difusor para a parte final da temporada. Mas, por enquanto, nada ainda está definido”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube