F1

Chefe da Haas perde paciência com dupla após batida na largada: “Inaceitável”

A Haas já não tem mais aceitado a atual situação que tem apresentado com sua dupla de pilotos. Após o GP de Silverstone, Güther Steiner, chefe da equipe, deixou claro que a paciência com Romain Grosjean e Kevin Magnussen chegou ao fim, não poupando a dupla de duras críticas

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
A paciência da Haas com Romain Grosjean e Kevin Magnussen parece ter chegado ao fim. Após o GP da Inglaterra, Günther Steiner, chefe da equipe, não escondeu o nervosismo com seus titulares, descarregando duras críticas em cima dos competidores.
 
Em Silverstone, assim que a largada foi autorizada na pista inglesa, os pilotos se envolveram em problemas. O problema é que um acabou acertando o outro, danificando ambos os carros e, consequentemente, encerrando a disputa de ambos de forma precoce.
 
Saindo sem pontos da décima etapa do calendário da Fórmula 1, o dirigente mostrou estar cansado com a situação. “Foi uma corrida bastante decepcionante para nós. Estou apenas atestando o óbvio aqui. O melhor que nossos pilotos puderam trazer para a briga é uma pá, para cavar ainda mais o buraco em que estamos”, disse.
 
“Precisamos voltar, nos reunir, e ver o que faremos no futuro. Não é aceitável o que aconteceu. Fui bem claro com eles após Barcelona sobre o que não fazer. No final, estamos em uma posição difícil no momento, como fazer o carro trabalhar na pista. Estou obviamente decepcionado”, seguiu.
Kevin Magnussen (Foto: Haas)
“Todos trabalham duro para tentar sair do buraco em que estamos. Fazemos quase o impossível e quando temos a chance de conseguir pontos ou ao menos aprender alguma coisa para dar um passo, eles fazem algo assim. Não preciso de explicação para isso”, completou.
 
Durante o encontro da equipe, Steiner ressaltou que a dupla não chegou a falar. “Era uma oportunidade, com todos os dados que temos, era uma oportunidade. Sabíamos disso porque trabalhamos duro por isso na sexta-feira. Foi uma oportunidade perdida. Esse é seu deadline. Farei o que acho que é certo a se fazer nos próximos dias”, encerrou.
 
Caso haja uma possível troca de titulares no meio da temporada, surge a dúvida de quem assume os carros do time. Hoje, Pietro Fittipaldi é um dos pilotos reservas do time, mas o brasileiro ainda não conta com os pontos necessários para conseguir sua superlicença.
 
A equipe norte-americana chegou a Silverstone no meio de uma grande polêmica. A Rich Energy, patrocinadora-máster do time, chegou a escrever em seu Twitter que não apoiava mais a escuderia por conta do baixo desempenho. Depois, voltou atrás e até o diretor-executivo da empresa chegou a comentar o caso.
 
Enquanto isso, a Haas tentou se manter afastada de qualquer confusão. Após o comunicado da marca de bebidas energéticas, apenas afirmou que o patrocínio seguia. Depois, Steiner jogou toda a responsabilidade na companhia.
 

Paddockast #24
A BATALHA: Indy x MotoGP


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.