Chefe da Lotus pede maior envolvimento das equipes na promoção da F1 e defende pilotos mais acessíveis aos fãs

De acordo com Federico Gastaldi, chefe-adjunto da Lotus, a F1 precisa melhorar o “melhor show da terra”, como definiu o argentino. Para isso, é necessário oferecer ao fã da F1 um acesso melhor aos pilotos. Por outro lado, o dirigente defende que as equipes devem se envolver mais com os promotores, inclusive ajudando na venda de ingressos para as corridas

Chefe-adjunto da Lotus, Federico Gastaldi vem de um país onde a relação com o automobilismo é muito intensa: a Argentina. O dirigente entende que sua terra natal ensina que a F1 pode ter um envolvimento humano maior para que os fãs possam ficar mais próximos do esporte e de quem proporciona seu espetáculo. Por isso, Gastaldi entende que a categoria trabalhe para tornar seus pilotos mais acessíveis ao público em geral.

Por outro lado, o argentino acredita que as equipes também devem se envolver mais na promoção da F1, ajudando, inclusive, aos promotores das corridas.

Pilotos da F1 antes do GP da Inglaterra (Foto: Lotus/Facebook)

“Precisamos estar mais abertos para ajudar os promotores a vender seus ingressos. Se eles sofrem com isso, então não vamos ter corridas, e isso não é bom para o futuro da F1”, declarou Gastaldi em entrevista ao site da revista britânica ‘Autosport’.

“Também temos de estar mais abertos para ajudar os patrocinadores e entender como podem recuperar seu investimento e ajudar a mídia para melhorar o espetáculo que oferecem aos seus espectadores”, sugeriu.

“Precisamos ser mais generosos com nosso tempo, incluindo os pilotos, para torna-los mais acessíveis. Entendo que seu trabalho seja estressante, mas seria bom se fosse possível encontrar uma forma de torna-los mais acessíveis para os fãs”, explicou o chefe da Lotus.

Gastaldi invocou a cultura esportiva da Argentina e a paixão do seu povo pelo automobilismo e entende que a F1 poderia adotar uma postura parecida para aumentar o interesse pelo esporte que, na visão do próprio Federico, já é o melhor do mundo. “É sobre educar o pessoal. Venho da Argentina, um país onde a F1 é mais popular que o futebol no Brasil. A geração atual tem de entender que o espetáculo é bom, mas ainda acredito que a F1 é o melhor show da terra.”

Para tal, o dirigente acredita que a interação da F1 por meio das redes sociais com seu público tenha de ser cada vez maior. Neste ano, a categoria intensificou seu alcance nas redes, mas Gastaldi entende que a F1 precisa se espelhar em outros esportes para reacender o interesse por parte dos seus fãs.

“Acredito que a F1 precisa ser inteligente e mudar para melhorar o espetáculo. Por exemplo, estava vendo as finais de basquete e acompanhava pelo Instagram, e é incrível ver como podem ajudar na competição, quando você vê uma partida, as redes sociais mostram muitas coisas para nós. Precisamos um pouco disso também, precisamos ver e entender as coisas que o pessoal tem feito em outros esportes e copiar isso porque é bom para os fãs”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube