Chefe da Williams comenta Caso Horner e vê mudanças em F1 “dominada por homens”

Chefe de equipe da Williams, James Vowles foi o primeiro dirigente a comentar sobre as alegações feitas contra Christian Horner

Após a apresentação do novo carro da Williams para a temporada 2024 da Fórmula 1, James Vowles, chefe do time de Grove, comentou sobre o caso envolvendo Christian Horner. Embora o dirigente admita que não tenha conhecimento sobre a natureza das alegações, ele afirmou que a categoria deveria aprender com a situação.

Na última segunda-feira (5), o portal neerlandês De Telegraaf trouxe a informação de que Horner, chefe da Red Bull, estaria sendo alvo de uma investigação interna por conta de “comportamento inapropriado”. O portal alemão Bild ainda destacou que a empresa de energéticos iniciou a investigação depois de tomar conhecimento que o inglês teria enviado fotos a uma funcionária, algo que “passou dos limites”.

Em uma entrevista à rede estadunidense Bloomberg após o evento de apresentação do FW46 da Williams para a temporada que se inicia no dia 02 de março, no Bahrein, Vowles falou sobre as alegações envolvendo seu colega de profissão. “Essas alegações são apenas alegações. Receio não ter nenhuma compreensão do que está por trás delas e do significado do que aconteceu”, começou o britânico.

“Tudo o que posso dizer é que, caso isso aconteça dentro de nossa equipe, daremos todo o apoio em termos de consertar o problema e garantir que tenhamos uma cultura que aceite a todos”, garantiu.

James Vowles comentou sobre as acusações feitas contra Christian Horner (Foto: Reprodução)

De acordo com as informações, Horner teria sido aconselhado, de forma amigável, a renunciar voluntariamente ao cargo de chefe da equipe. Vowles também refletiu sobre o que poderia acontecer caso o chefão dos taurinos deixasse a categoria.

“Mais uma vez, acho que isso significa que teremos de nos olhar no espelho e ter certeza de que estamos fazendo as perguntas certas e agindo de uma forma da qual só podemos nos orgulhar. Não só hoje, mas nos próximos 10 anos”, alertou.

O comandante da escuderia de Alexander Albon e Logan Sargeant aproveitou a oportunidade para destacar a evolução que o automobilismo tem vivido nas últimas décadas em relação à diversidade. “O esporte em si, falando de 20 anos atrás, era dominado pelos homens, sem qualquer questionamento”, avaliou.

Horner está sendo investigado pela Red Bull (Foto: Red Bull Content Pool)

“Se você tivesse de me perguntar o que constituía um time [há 20 anos], seria branco, provavelmente masculino, com 40 anos, ou algo próximo disso”, lembrou James. “Essa situação está mudando, e é positivo que isso esteja acontecendo”, celebrou.

Ainda comentando o Caso Horner, Vowles refletiu sobre o que aconteceria caso algo parecido acontecesse em Grove, sede da esquadra britânica. “Só posso controlar o que acontece dentro da Williams. E o que posso fazer dentro desse ambiente é abrir os olhos de todos, porque as melhores ideias não vêm de um grupo fechado de indivíduos, mas da diversidade”, completou.

Após terminar na sétima colocação do Mundial de Construtores do ano passado — o melhor resultado desde 2017 —, a Williams espera alçar voos mais altos em 2024.

A Fórmula 1 retorna às pistas de 21 a 23 de fevereiro, com os testes coletivos de pré-temporada no Bahrein, no circuito de Sakhir.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.