Cidade de Bangkok proíbe corridas de rua e coloca em xeque realização de GP na Tailândia

Lei que entrou em vigor no dia 16 de maio torna ilegal a realização de corridas nas dependências da capital tailandesa, a cidade de Bangkok. Objetivo era promover GP a partir de 2015

A aprovação de uma lei que proíbe a realização de corridas de rua na cidade de Bangkok, no ultimo mês de maio, se tornou um enorme empecilho para os planos de levar à F1 à Tailândia em 2015.

No fim de abril, o governo do país aprovou a ideia e foi divulgado um possível traçado de 5.995 m para receber a principal categoria do automobilismo mundial. Contudo, a ideia de ter os carros passando por monumentos históricos não foi vista com bons olhos por todos.

Projeto inicial do circuito de rua de Bangkok, Tailândia (Foto: Divulgação)

“A lei passou a vigorar em 16 de maio, proibindo corridas de rua nas dependências de Bangkok, pois essa é uma área de conservação da cultura e das artes”, afirmou Kriangphon Pattanarat, diretor-geral de planejamento da cidade à agência internacional de notícias ‘AFP’.

Bangkok recebeu a Corrida dos Campeões em dezembro do ano passado. À época, o evento não teve grande público mesmo contando com a presença de campeões mundiais como Michael Schumacher e Sebastian Vettel. Entretanto, o evento tem grande apoio financeiro por parte da Red Bull, que tem laços com o país: seu criador foi o tailandês Chaleo Yoovidhya, que morreu em março de 2012. A família Yoovidhya detém 51% das ações da empresa.

O circuito urbano inicialmente projetado teria capacidade para abrigar até 150 mil espectadores. Ainda não se sabe se outro local está sendo procurado para a montagem de uma pista.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube