Com memórias “boas e más” de “incrível” Interlagos, Vettel sugere aumento da pista

Sebastian Vettel está indo para a 13ª edição do GP do Brasil. O tetracampeão se disse fã da pista, que chamou de incrível, mas gostaria que acontecesse um retorno ao passado. Ao menos no que diz respeito à extensão

Sebastian Vettel tem um histórico no GP do Brasil de Fórmula 1. A edição de 2019 é a 13ª em que participa. Com muitas lembranças guardadas de Interlagos, o tetracampeão mundial fez uma sugestão: retornar ao passado no que diz respeito à extensão da pista. 
 
Vettel mostrou gostar de Interlagos, onde venceu as provas de 2010, 2013 e 2017 e onde viu Jenson Button confirmar o título de 2009 – do que o alemão foi vice. Neste momento, contudo, é possível melhorar a situação, segundo ele falou em entrevista que contou com a presença do GRANDE PRÊMIO.
 
"Gosto daqui, é um bom lugar para se correr, as pessoas gostam muito de corrida aqui, o ambiente é muito bom. Nós também recebemos muito apoio por sermos da Ferrari, fora que a pista é incrível, mesmo sendo um pouco curta, talvez o ideal fosse voltar algumas coisas do passado no tamanho. Aqui também é uma pista em que tudo acontece por variados motivos, é bem imprevisível. 2012 foi uma corrida louca, outras também foram. Venci aqui três vezes, mas também perdi um campeonato para o Jenson [Button], então, boas e más lembranças", contou.
Sebastian Vettel (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Com relação ao último fim de semana de corrida dele na temporada, nos Estados Unidos, lamentou o azar, mas minimizou os problemas de potência. 
 
"Parece mesmo que fomos pegos pelos bumps da pista. Eu sei que andamos lá o final de semana todo, mas eu acho que é coisa de ter dado sorte até ali de não ter acontecido e ter dado azar justamente na corrida, passando no lugar errado e, aí, quebrando a suspensão", seguiu.
 
"Nós sofremos em Austin, mas principalmente no domingo, se formos analisar tudo. Acho que temos condições de recuperar a nossa performance que vinha de antes do GP dos EUA, parece um cenário bom", afirmou.
 
"Não perdemos potência no motor. Na classificação, ficou claro, nós ganhamos vantagem nas retas, não tanto quanto o normal, mas também nem perdemos muito. Acho que a corrida foi diferente, Charles não teve o ritmo que geralmente tem, eu também nem sei dizer porque não participei quase da corrida, mas não acho que teve a ver com o nosso motor. Tivemos outras provas em que não fomos tão competitivos assim, vamos tentar corrigir isso para o ano que vem", finalizou.

Na sexta-feira, Vettel foi o mais rápido num segundo treino livre que terminou com o companheiro Charles Leclerc em segundo.

GRANDE PRÊMIO cobre in loco o GP do Brasil com os jornalistas Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Flavio Gomes, Gabriel Carvalho, Gabriel Curty e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe todo o noticiário aqui e tudo dos bastidores e das atividades em pista AO VIVO e em TEMPO REAL.
 


 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube