F1

Com salário de R$ 200 milhões por ano, Vettel assina com Ferrari maior contrato da história da F1

De acordo com o jornal inglês ‘The Telegraph’, contrato de Sebastian Vettel com a Ferrari é de R$ 600 milhões por três anos. Cifras dão ao germânico o maior contrato da história da F1
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo
 Sebastian Vettel durante TL1 em Abu Dhabi (Foto: Getty Images)

Depois de semanas de expectativa, a Ferrari anunciou na última quinta-feira (20) a contratação de Sebastian Vettel como substituto de Fernando Alonso. O contrato com o tetracampeão válido por três anos.
 
Nesta sexta-feira, o jornal britânico ‘The Telegraph’ revelou que o contrato do tetracampeão com a escuderia de Maranello é de £ 150 milhões (aproximadamente R$ 600 milhões).
Sebastian Vettel vai subir 80 posições no ranking dos atletas mais bem pagos do mundo (Foto: Getty Images)
Segundo o ranking divulgado pela revista Forbes recentemente, Vettel é o 83º na lista dos 100 atletas mais bem pagos do mundo, com um faturamento de R$ 48,4 milhões por ano.
 
Com o novo vínculo com a Ferrari, Sebastian passaria a ter um ganho anual de R$ 199,8 milhões — considerando apenas o salário —, o que o colocaria como o terceiro atleta mais bem pago do mundo, atrás apenas do boxeador Floyd Mayweather (R$ 267,3 milhões) e do jogador de futebol Cristiano Ronaldo (R$ 203,8 milhões).
 
Entre os pilotos da F1, Lewis Hamilton aparece como o 19º na lista dos mais bem pagos, recebendo R$ 81,5 milhões. Fernando Alonso é o 21º, com R$ 79 milhões.
 
Participando de um evento ao lado de Alonso e Jenson Button na noite passada, Vettel recordou a passagem de Michael Schumacher pela escuderia vermelha e afirmou que espera repetir o ídolo e ver a Ferrari retomar o caminho das vitórias.
 
“Quando eu era criança, Michael Schumacher em seu carro vermelho era o meu grande ídolo e agora é uma honra incrível finalmente ter a chance de guiar uma Ferrari”, declarou o alemão — com muito mais grana no bolso. 
A RAINHA DO DESERTO

A sexta-feira de treinos livres na decisiva pista de Abu Dhabi acompanhou mais um costumeiro passeio da Mercedes. A equipe alemã, assim como tem acontecido durante a longa temporada 2014, dominou sem muito drama as ações, com Lewis Hamilton no comando. O inglês foi o mais rápido do dia com 1min42s113. A marca foi apenas 0s083 melhor que a registrada por Nico Rosberg, o segundo colocado. Assim sendo, o britânico abriu na frente a primeira parte da batalha pelo título contra o colega de equipe. Já Felipe Massa foi apenas o décimo colocado.

Leia a reportagem completa dos treinos em Abu Dhabi no GRANDE PRÊMIO.
TEMOS UM RECORDE

Romain Grosjean vai perder 20 (sim, VINTE) posições no grid de largada do GP de Abu Dhabi devido ao uso dos sextos motor de combustão interna, turbocompressor e MGU-H da temporada 2014. O regulamento determina que, sempre que o piloto usa um componente da unidade de força pela sexta vez, ele pague uma punição de dez posições. Os demais sextos componentes representam uma pena de cinco posições.

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.
CHEGADAS E PARTIDAS

A Ferrari enfim anunciou aquilo que todos já pareciam saber há muitos meses nesta temporada 2014 da F1. A equipe italiana confirmou na manhã morna desta quinta-feira (20) em Abu Dhabi que Fernando Alonso não será mais piloto da escuderia. O espanhol defendeu as cores de Maranello nos últimos cinco campeonatos, disputou o título em duas oportunidades, em 2010 e 2012, venceu 11 vezes com o carro vermelho, fez 44 pódios e somou 1.186 pontos. A saída do bicampeão abre finalmente caminho para a chegada do tetracampeão Sebastian Vettel.

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.