Como pilotos somaram pontos em corrida de apenas 1 volta na Bélgica

O caótico GP da Bélgica deixou muitas perguntas sem resposta e uma delas trata do resultado computado ao final de quase 3h30: a tabela mostrou apenas uma volta completada e, mesmo assim, os dez primeiros colocados foram agraciados com pontos. Mas por que isso aconteceu?

Assista aos melhores momentos do GP da Bélgica deste domingo (Vìdeo: GRANDE PRÊMIO com Reuters)

O retorno da Fórmula 1 para a segunda parte da temporada 2021 foi caótico. A chuva forte e insistente que atingiu Spa-Francorchamps durante todo o domingo (29) obrigou a direção de prova do Mundial a adiar o começo da etapa. Isso porque a veloz pista da Bélgica se mostrou encharcada e visibilidade foi quase nula. O início, atrasado, foi ajudado pelo safety-car, mas logo ficou claro que seria impossível correr naquelas condições. Assim, a bandeira vermelha foi inevitável. E essa paralisação foi longa, de mais de três horas. Até que se decidiu tentar uma segunda vez.

O cronômetro disparou uma contagem regressiva de 60 minutos, e a prova foi considerada válida a partir do momento em que foram completadas duas voltas, atrás do safety-car, quando houve nova interrupção. Daí em diante, foi somente esperar dar a uma hora prevista, mas a corrida foi oficialmente encerrada até antes disso. Por motivos de segurança, não houve como a disputa seguir para valer. A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) desconsiderou a possibilidade de transferir a etapa para segunda e deu por concluído, então, o GP da Bélgica, considerando Max Verstappen como vencedor. George Russell e Lewis Hamilton fecharam o pódio.

Só que algo interessante chamou a atenção aí.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

A classificação oficial apontou apenas uma volta completada e uma distribuição da metade dos pontos para os dez primeiros colocados – praticamente a ordem determinada na definição de sábado, apenas algumas exceções devido a punições. Como isso aconteceu se o regulamento esportivo da Fórmula 1 diz que é necessário percorrer mais de duas voltas ou até 75% da distância para que a pontuação seja aplicada, ainda que meia pontuação?

Essa regra está no artigo 6.5 do Regulamento e fala o seguinte: “Se em uma corrida sprint ou uma prova for suspensa obedecendo ao artigo 50 (que fala sobre a suspensão de uma corrida) e não puder ser reiniciada, nenhum ponto será dado se o líder tiver completado duas voltas ou menos; metade dos pontos será entregue se o líder tiver feito mais de dois giros, mas menos de 75% da distância dessa corrida sprint ou da prova original; os pontos totais serão computados se o líder percorrer 75% ou mais da distância original da corrida sprint ou da prova.”

Só que os pilotos completaram duas passagens atrás do SC, antes que a nova paralisação fosse anunciada. Assim, os resultados não poderiam gerar pontos. O artigo 51.14 do regulamento diz: “Se a corrida sprint ou a prova não puder ser retomada, os resultados computados serão os obtidos na penúltima volta antes do giro em que o sinal de suspensão da corrida for dado.”

Na prática, significa que, com a bandeira vermelha determinada na terceira passagem, o resultado considerado pela direção de prova foi o da primeira volta. E isso é o que abre margem para a discussão sobre a validade dos pontos e até mesmo sobre a necessidade de ter de percorrer mais de duas voltas.

A questão aqui é que o artigo 6.5 do regulamento não especifica quando o resultado final da corrida é dado. Apenas se resume a entender se o primeiro colocado da corrida percorreu ou não mais de duas voltas. E Verstappen seguiu o safety-car por dois giros e cruzou o terceiro na linha de cronometragem, completando três passagens, ainda que por dentro dos pits.

Diretor de provas da F1, Michael Masi explicou a razão para a pontuação, além das regras da bandeira vermelha. O que acontece é que as duas normas não estão interligadas. “Foram completadas três voltas”, disse.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Como assumir controle da F1 na incrível temporada 2021 no F1 TV Pro

Em nenhuma momento do domingo a chuva deu trégua para a F1 na Bélgica (Foto: AFP)

“A terceira passagem foi feita com os carros dentro do pit-lane. E a classificação para a pontuação foi feita com base na penúltima volta antes da decisão de interromper a corrida. Definitivamente, são questões separadas”, emendou Masi.

“Uma regra é para o término da corrida. E outra é o que acontece com relação aos pontos”, concluiu.

Então, foi assim que Verstappen somou 12,5 pontos, enquanto Russell, o segundo colocado, saiu do pódio belga com 9 tentos, 1,5 a mais que Hamilton. Daniel Ricciardo, Sebastian Vettel, Pierre Gasly, Esteban Ocon, Charles Leclerc, Nicholas Latifi e Carlos Sainz foram os demais premiados na prova em Spa.

A Fórmula 1 volta a acelerar já no próximo fim de semana com o retorno do GP da Holanda, abrindo setembro no reformado circuito de Zandvoort.

VÍDEO
+Norris sofre forte acidente na subida da Eau Rouge na classificação do GP da Bélgica

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar