Comunidade da F1 se solidariza com vítimas de atentados em Bruxelas na manhã desta terça-feira

Tão logo souberam da notícia de mais um atentado na Europa, pilotos do Mundial de F1 se solidarizaram com as vítimas dos atentados na Bélgica ocorridos na manhã desta terça-feira (22), em Bruxelas. Até o momento, há 28 mortes confirmadas

A terça-feira (22) começou com a notícia de mais uma tragédia causada por atentados na Europa. Por volta das 4h15 (horário de Brasília), fortes explosões foram registradas em Bruxelas, capital da Bélgica, sendo duas no aeroporto internacional Zaventem, no subúrbio da capital, perto dos balcões de check-in no terminal de embarque, e outra na estação do metrô de Maelbeek, localizada próxima a edifícios da União Europeia. 
 
Segundo informação das agências internacionais, ao menos uma das explosões foi provocada por um homem-bomba. Neste momento, há a confirmação de pelo menos 28 mortes, sendo 15 no metrô e 13 no aeroporto, muitos em estado grave, segundo um balanço provisório divulgado por Pierre Meys, porta-voz do corpo de bombeiros de Bruxelas.
 
De acordo com uma testemunha ouvida pelo site belga ‘Le Soir’, uma vidraça explodiu no check-in da American Airlines e ‘várias vidraças se despedaçaram segundos depois’. A explosão na estação Maelbeek do metrô de Bruxelas aconteceu no horário de pico, às 9h15 locais, deixando pelo menos 15 mortos e 55 feridos, causando grande pânico e desespero aos passageiros.
 
A Bélgica entrou em alerta máximo na esteira dos atentados em Paris, ocorridos em 13 de novembro do ano passado, por ter sido considerada um dos alvos potenciais de ataques terroristas. Nesta terça-feira o ministro do Interior da Bélgica, Jan Jambon, afirmou que o alerta contra o terrorismo foi novamente colocado em nível máximo.
 
Segundo informação do jornal ‘Folha de S.Paulo’, as explosões ocorreram dias depois da prisão de Salah Abdeslam na última sexta-feira. Salah é um dos coordenadores dos atentados em Paris. Depois da prisão, Abdeslam disse às autoridades que ele havia criado uma nova rede terrorista e que estava planejando novos ataques.
 
Pouco mais de quatro meses depois da tragédia causada por uma série de atentados em Paris, a comunidade da F1 voltou a lamentar pelas vítimas de um novo atentado em série. Entre elas, Max Verstappen. Belga de nascimento e holandês por opção, o piloto da Toro Rosso foi um dos que renderam solidariedade às vítimas de mais um atentado que choca o mundo e reflete diretamente no meio do esporte como um todo.

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube