Confira declarações dos pilotos após GP do Canadá, sétima etapa da temporada 2017 do Mundial de F1

Depois de conseguir 65ª pole da carreira na F1, Lewis Hamilton guiou com tranquilidade para vencer mais uma etapa e encostar luta pelo título com Sebastian Vettel

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Lewis Hamilton teve um fim de semana memorável no GP do Canadá de F1. Se não bastasse igualar, aos 32 anos, o número de 65 poles conquistadas por seu ídolo Ayrton Senna no sábado (10), o britânico também nadou de braçadas durante a prova de domingo (11). O piloto da Mercedes venceu a corrida de ponta a ponta e conseguu a volta mais rápida da prova.
 
Além de encostar no rival Sebatian Vettel, da Ferrari, na briga pelo título da temporada, Hamilton também teve motivos para comemorar pela Mercedes, que conseguiu sua primeira dobradinha no ano justamente uma prova após a Ferrari cruzar a linha de chegada com seus dois carros na frente no GP de Mônaco.Tudo isso foi possível pelo segundo lugar da prova conquistado por Valtteri Bottas com uma discreta, porém, sólida apresentação.
 
Daniel Ricciardo, da Red Bull, completou o pódio da corrida em Montreal e esbanjou simpatia ao brincar com o ator Patrick Stewart durante as entrevistas do pódio. Em uma corrida de recuperação, Vettel observou de camarote o atrito entre Sergio Pérez e Esteban Ocon, da Force India, para abocanhar a quarta posição da prova e não deixar Hamilton se aproximar tanto na classificação.
Lewis Hamilton e Valtteri Bottas (Foto: Mercedes)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

 
Felipe Massa não teve sorte. Na primeira volta da corrida, o carro do brasileiro foi atingido pela Toro Rosso de Carlos Sainz, que obrigou o piloto a abandonar a prova. Outro que também não completou foi Fernando Alonso. O espanhol chegou a estar em quarto lugar durante a prova, mas com problemas no motor abandonou a prova e foi para a galera.

Confira as declarações de cada piloto:

Lewis Hamilton, vencedor: Hamilton vive fim de semana especial no GP do Canadá e celebra redução da diferença para Vettel: “Estou na lua”

Valtteri Bottas, segundo: Discreto em Montreal, Bottas festeja êxito da Mercedes com primeira dobradinha em 2017: “Precisávamos de uma”

Daniel Ricciardo, terceiro: Depois de “testar concentração” na briga por pódio, Ricciardo extravasa e faz ‘shoey’ com Patrick Stewart

Sebastian Vettel, quarto: Quarto, Vettel lamenta perder pódio em GP do Canadá turbulento: “Queria um troféu, mas não consegui”

Sergio Pérez, quinto: Pérez se defende e diz que esperava erro de Ricciardo

Esteban Ocon, sexto: Ocon minimiza chance perdida: “Não foi justo, mas minha hora vai chegar”

Kimi Räikkönen, sétimo: "No começo meu carro patinou um pouco e, obviamente, perdemos algumas posições. A partir daquele momento não foi uma corrida fácil. Batalhei nas minhas primeiras voltas e foi difícil de passar. Nós decidimos mudar a nossa tática para duas paradas e criar uma diferença de velocidade com os pneus novos. Tivémos um ritmo muito bom e estavamos alcançando bem os carros da frente. Infelizmente, tivemos problemas com os freios e não conseguimos usufruir da nossa velocidade. Nas últimas dez voltas, eu quase não tinha freios. É uma pena, mas ao menos conseguimos fazer alguns pontos. Não foi um dia fácil para a equipe, mas é assim que acontece às vezes. Se este é o nosso dia ruim, então nós devemos seguir em frente."

Nico Hülkenberg, oitavo: "Hoje foi um dia positivo para nós. Tudo correu perfeitamente, embora o vento tenha sido forte. Movimentava o carro em plena reta. Obviamente, isso ajudou em algumas ultrapassagens, mas achei que o oitavo lugar e os quatro pontos são um resultado muito bom para equipe, apesar deste ser um circuito que temos mais preocupação com relação ao desempenho."

Lance Stroll, nono: Criticado no início da temporada, Stroll dá volta por cima e cai nos braços da torcida canadense

Romain Grosjean, décimo: "Bem, nossa corrida começou muito mal com a mudança da asa dianteira na primeira volta. Então, nós soubemos que o único jeito de conseguir uma estretégia descente seria ficar fora e fazer esses pneus durarem por 69 voltas, o que é muito bom para os supermacios. Chegamos lá. Estou muito triste com a manobra do Carlos (Sainz) no começo, o que ele fez para mim na curva três. Foi muito, muito perigoso. E fico feliz de o carro não ter tido muitos danos. Nós trocamos a asa dianteira e voltamos. Foi uma corrida difícil. Precisávamos de um pouquinho de sorte no final, o que tivemos com a saída do Alonso, e conseguimos pontuar. É ótimo para a equipe, mas perdemos um pouco de velocidade hoje".

Jolyon Palmer, 11º: "Nós terminamos em 11º lugar novamente e já são duas corridas consecutivas. É frustrante. Perdi muito com o caos do início e depois fiquei preso atrás do Grosjean durante 60 voltas sem poder fazer absolutamente nada para atacá-lo. Acredito que o ritmo foi melhor e deveria conseguir mais adiante, poderíamos ter pontuado. A corrida foi o ponto mais positivo do fim de semana, assim como o Q2. Temos que apenas seguir trabalhando forte".

Kevin Magnussen, 12º: "No que diz respeito a punição, eu acelerei antecipando o fim do safety-car virtual, e eu pensei que provavelmente o passaasse (Vandoorne) antes que ele terminasse. Eu não tinha certeza, mas eu deixei ele passar de qualquer jeito antes de passar ele de novo na curva seguinte. Normalmente, quando você devolve a posição, está tudo bem. Eu devolvi e então depois ultrapassei ele imediatamente. Ele estava na frente e tinha todas as chances de estar na posição que ele estava antes do safety-car virtual. Eu sinto que é muito injusto o julgamento dos comissários. Essas coisas acontecem. Minhas chances de pontuar acabaram. Eu lutei muito e tive um bom começo. A estratégia oposta não funcionou, mas ainda estávamos por lá. Não foi meu fim de semana, mas, espero, que isso acontecerá em breve".

Marcus Ericsson, 13º: "No geral, foi um fim de semana difícil, mas eu tirei o máximo do carro durante a corrida. Demos um passo adiante na gestão dos nossos pneus ao longo da corrida. O ritmo que eu tive foi semelhante aos nossos concorrentes diretos na maioria das partes da corrida. Agora, temos que evoluir nisso e levar algumas informações conosco para Baku".

Stoffel Vandoorne, 14º: "Foi uma corrida difícil. Acho que nós mais ou menos soubemos isso antes do início. A grande economia de combustível nos prejudica muito. A diferença de velocidade final com relação aos outros carros é impressionante. É incrivelmente difícil ficar no grupo da frente e também não temos como nos defender, porque temos muitos pontos vulnerável. Mas não tem como reclamar muito. Apenas quero continuar fazendo o meu trabalho, mas espero que tenhamos melhorias em breve".

Pascal Wehrlein, 15º: "Foi um fim de semana difícil, primeiro por causa do acidente no treino classificatório, e também porque eu não consegui manter o tempo das voltas na competição. Temos que ter certeza que nós entendemos a razão para isso. Por enquanto, estamos concentrados no próximo fim de semana em Baku."

Fernando Alonso não completou a prova (Foto: McLaren)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Fernando Alonso, NC: Alonso diz que ponto perdido “não muda o dia”, mas promete recompensar mecânicos: “Têm trocado muitos motores”

Daniil Kvyat, NC: "Foi um dia decepcionante. Nossos problemas já começaram durante a volta de apresentação, meu motor parou, então eu tive que buscar todos os carros antes da linha do safety-car, o que eu não consegui fazer então eu fui punido por isso. Mas ainda estavamos buscando a nona posição com um excelente ritmo de hoje. Infelizmente, durante meu pit-stop tivemos um monte de problemas e tive que abandonar. Era muito tarde para fazer qualquer coisa depois de perder bastante tempo nos pits. Eu fiz tudo o que eu pude hoje, mas o que me incomoda é que todas as vezes que nós temos um bom ritmo alguma coisa acontece ou dá errado. É muito frustrante, nós merecemos uma recompensa hoje".

Max Verstappen, NC: "O jeito como a corrida terminou para mim foi muito frustrante depois de ter um bom começo. Acho aque o pódio era possível, mas mais uma vez, saímos com nada. O começo foi realmente bom, imediatamente eu não senti minha rodas deslizarem e pude somente conseguir alguns lugares. Eu tive um pequeno contato com o Seb (Vettel) na primeira curva, o que largamente significa que isso pode acontecer. A partir daí, senti um ritmo muito bom e eu estava cuidando dos pneus e freios já que não tínhamos chance de encostar no Lewis. Eu estava concentrado em fazer minha própria corrida quando, de repente, perdi toda minha potência e tudo desligou. Eu tive muitas decepções recentemente, acho que isso faz parte das corridas, mas as vezes você cansa disso".

 

Felipe Massa, NC: Massa é acertado por carro descontrolado de Sainz e abandona GP do Canadá ainda na primeira volta

Carlos Sainz Jr, NC: "Que começo de corrida difícil, eu tive um bom começo e estava em 12º, tentando ultrapassar o Fernando por fora na curva dois. Ele conseguiu uma melhor tração do que eu por lá então eu me concentrei em me posicionar para tentar atacar ele na curva três e, de repente, eu toquei em uma Haas que estava no meu lado direito. Eu tenho que dizer que eu não vi que o carro estava lá, foi simplesmente um ângulo morto, e eu não nunca soube que ele estava lá. Se eu tivesse percebido que estava lá, é claro que eu teria sido mais cuidadoso e deixado mais espaço. Uma vez que colidimos, eu era apenas um passageiro, bati no muro e esse foi o fim da minha corrida, infelizmente. Eu gostaria de pedir desculpas, especialmente ao Felipe, que recebeu meu toque. Eu simplesmente não pude fazer nada para evitar ele. Foi um grande acidente, mas estou bem. Infelizmente, o fim de semana inteiro foi um pouco difícil para nós, começando potr não ter conseguido correr no primeiro treino livre, depois no treino classificatório e hoje no acidente. Agora é hora de se concentrar em Baku, Felizmente, temos 20 corridas na F1 e podemos esquecer este fim de semana".

A NOVA F1 SE APROXIMA MAIS DA INDY. E ÁUDIO EM MÔNACO É PROVA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube