Confira declarações dos pilotos após treino classificatório do GP do Japão, 16ª etapa da temporada 2017 da F1

A Mercedes mostrou muita força na classificação em Suzuka, engolindo a Ferrari. Mas a grande história do sábado é a capacidade de Lewis Hamilton, que fez uma apresentação digna de aplausos e levou a pole com um pé nas costas

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Lewis Hamilton foi o dono do treino classificatório da F1 em Suzuka, neste sábado (7). O britânico deixou claro desde o começo que era o mais veloz e carimbou a pole-position, 71ª da carreira, com um pé nas costas. O resultado é um passo importante na briga pelo título contra Sebastian Vettel, considerando a aparente vantagem da Mercedes sobre a Ferrari em terras japonesas.

A equipe alemã teria uma dobradinha se Valtteri Bottas não precisasse trocar o câmbio, o que acarreta na perda de cinco posições no grid de largada. Assim, Vettel larga da primeira fila, de olho em Hamilton.

Daniel Ricciardo e Max Verstappen formam uma segunda fila exclusiva da Red Bull. O australiano estava claramente atrás do holandês nos treinos livres, mas deu sinais de reação na hora da verdade. Outra dupla, a da Force India, ocupa a terceira fila. O top-10 chacoalhado por punições ainda conta com Felipe Massa, Stoffel Vandoorne e Nico Hülkenberg.

Lewis Hamilton e Valtteri Bottas (Foto: Mercedes)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Kimi Räikkönen, que vem de um fim de semana difícil na Malásia, voltou a se dar mal no extremo oriente. Um acidente no TL3 forçou a troca da caixa de câmbio, o que joga o finlandês do sexto para o 11º lugar no grid de largada. A situação só não é pior do que a de Jolyon Palmer, Carlos Sainz Jr. e Fernando Alonso, que partem da rabeira após efetuar diversas trocas de componentes do motor. 

GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da F1 no Japão AO VIVO e em TEMPO REAL, com livetiming e gráfico interativo.

Confira declarações dos pilotos após a classificação para o GP do Japão

Lewis Hamilton, primeiro: Hamilton celebra pole inédita em Suzuka já mostrando otimismo para corrida: "O carro está fantástico"

Sebastian Vettel, segundo: Feliz com o segundo lugar, Vettel admite que se arriscou para tentar brigar com Mercedes: "Mas não funcionou"

Daniel Ricciardo, terceiro: Ricciardo e Verstappen "se forçam ao limite" e admitem que alcançaram o máximo possível: "Era o que o carro tinha"

Max Verstappen, quarto: Ricciardo e Verstappen "se forçam ao limite" e admitem que alcançaram o máximo possível: "Era o que o carro tinha"

Esteban Ocon, quinto: Force India cumpre promessa de ser “melhor dos outros” e dupla celebra: “Esse carro é pura alegria”

Valtteri Bottas, sexto: "Está sendo um final de semana difícil, tive uma primeira ida à pista complicada e os mecânicos conseguiram recuperar meu carro. Conseguir a segunda colocação, mesmo não largando lá, é muito bom".

Sergio Pérez, sétimo: Force India cumpre promessa de ser “melhor dos outros” e dupla celebra: “Esse carro é pura alegria”

Felipe Massa, oitavo: Volta “perfeita” no Q3 deixa Massa em oitavo no grid do GP do Japão e na expectativa de bom resultado

Stoffel Vandoorne, nono: "Acho que não entrar no Q3 foi bom, porque sabíamos que Fernando (Alonso) seria punido. Não ir para o Q3 nos permite entrar com pneus novos na corrida, por isso é um cenário quase ideal para mim. O meio do grid é muito apertado, então podemos ir bem. Espero conquistar pontos. Sobre a estratégia, não é fácil escolher entre uma ou duas paradas. Essa decisão pode funcionar a nosso favor, temos que nos certificar que estaremos em posição de aproveitá-la."

Stoffel Vandoorne (Foto: McLaren)

Kimi Räikkönen, décimo: "Obviamente nunca é bom começar o dia assim (com acidente). Depois disso ficou ainda mais difícil encontrar o ritmo. A equipe fez um ótimo trabalho e conseguiu reconstruir o carro a tempo para o Q1, mas não me senti bem durante a classificação, mesmo porque não consegui fazer voltas suficientes para encontrar o melhor ritmo. Amanhã veremos o que podemos fazer. Depois de um erro, como esta manhã, você perde um pouco do ritmo e, em um circuito como este, é complicado”

Nico Hülkenberg, 11º: "Tivemos dificuldades na classificação e o equilíbrio não era bom. Especialmente porque estava saindo de traseira no primeiro setor. No geral, você melhora na classificação, mas desta vez não veio para a gente, então um top-10 escapou pelos dedos. Não será fácil amanhã, porque o meio do pelotão é um lugar muito competitivo. Não foi a classificação que esperávamos, vai ser um trabalho duro, mas precisamos ir bem para nos recuperamos.O carro é bom e, se largarmos bem, tudo está ao alcance: podemos marcar pontos."

Kevin Magnussen, 12º: “Estamos mostrando mais força nesse fim de semana. O carro pareceu melhor já na sexta-feira, está mais vivo. Isso tem um pouco a ver com as temperaturas mais baixas, o que faz os pneus trabalharem melhor. Pelo menos fica mais fáceis evitar o superaquecimento. Se você está devendo em downforce ou aderência, eles não tendem a aquecer demais quando faz mais frio, como aqui. Isso nos deixa mais próximos do pelotão intermediário. Esperava estar em 16º ou 17º, mas fiquei em 13º e largo em 12º amanhã. Não dá para não ficar feliz com isso, mas em classificações apertadas com a de hoje você fica pensando que dava para conseguir um pouco mais. Mas estamos próximos da zona de pontos e vamos atrás disso”

Romain Grosjean, 13º: “Estou ok. Minha primeira volta foi muito boa, mas acabei tendo um susto na curva 11 e perdi tempo em relação ao Kevin. Acho que dava para ficar entre os dez primeiros no Q1. Fui para a segunda volta fazendo basicamente a mesma coisa, mas o carro estava saindo muito de traseira sem qualquer motivo. Precisamos analisar isso. Claro, ataquei a curva 3 mais rápido do que na outra volta, mas nada absurdo. Eu simplesmente perdi controle e tentei segurar na 4, mas era tarde demais. Tentei seguir na pista para evitar a batida, mas perdi controle outra vez. Aí toquei a grama molhada e fui jogado contra a barreira”

Pierre Gasly, 14º: "Quão chato, hoje não foi uma boa classificação para mim. Tive um momento importante durante minha última volta no Q1 e travei o carro no primeiro setor, quase saindo da pista. Por sorte deu para terminar a volta, mas não foi limpa. Esperava melhorar bastante na minha segunda tentativa de ir à pista, mas acabou não acontecendo por conta da bandeira vermelha. Estou decepcionado pelo resultado final porque tínhamos potencial de entrar no Q2. Espero que amanhã possamos ter uma boa corrida e que eu consiga controlar os pneus, tirar o máximo do carro e ver onde terminamos."

Lance Stroll (Foto: Williams)

Lance Stroll, 15º: “Não foi uma boa sessão. Não consegui minha volta porque fiquei preso atrás do Pérez e do Gasly na chicane, e depois ainda teve a bandeira vermelha. Não teve jeito de ir ao Q2. Mas é assim que as coisas são e não tem nada que eu possa fazer agora. Tivemos azar com o tráfego. O carro esteve bom no fim de semana inteiro, então isso é frustrante. Mas amanhã é outro dia e ainda vamos recuperar posições com as punições dos outros. Queremos mostrar o potencial do carro”

Marcus Ericsson, 16º: “Foi uma classificação decente para mim. Tivemos evolução de sessão em sessão e deu para ficar mais próximo dos concorrentes. O fim do Q1 foi desapontador. Estávamos forçando na última volta quando a sessão foi interrompida com bandeira vermelha. Mas fico feliz com minha classificação”

Pascal Wehrlein, 17º: “Comparando com ontem, não me senti confortável no carro. Não estou satisfeito com o equilíbrio e vamos olhar os dados para entender o motivo. Sobre a classificação, a bandeira vermelha foi uma pena. Queria completar minha última tentativa para melhorar. Agora é pensar na corrida de amanhã”

Jolyon Palmer, 18º: "A classificação foi OK, mas no geral o ritmo foi um pouco decepcionante para a equipe. A primeira saída do Q2 nos deixou perto do top-10, mas, na segunda, o carro estava escorregando e não deu para melhorar. A pista estava melhorando, então, quando você não melhora, cai muito. É uma pena ter que largar tão atrás. Acho que temos um ritmo um pouco melhor que quem está em nossa frente. Pode ser uma corrida divertida."

Carlos Sainz Jr., 19º: "Os resultados na tabela de tempos parecem piores do que são, porque no Q2 nós decidimos não usar pneus novos, apenas os que já havíamos utilizado no Q1. A razão para isso é que vamos largar do fim do grid por causa da punição. Então hoje o Q2 foi um tanto quanto estranho – usamos apenas para treinar largadas e andar de pneus velhos. Não é exatamente o que costumamos fazer. De qualquer forma, foi uma classificação que eu não gostei muito, mas foi um sacrifício pensando em amanhã, quando vamos aproveitar mais que hoje. Espero que possamos ter uma boa corrida e outra boa recuperação usando os pneus novos que nós poupamos."

Fernando Alonso, 20º: Em último no grid, Alonso espera corrida “complicada” e conta com Vandoorne como esperança da McLaren no Japão

HÁ ESPERANÇA?

MESMO COM RESULTADO RUIM, VETTEL GANHA FORÇA NA MALÁSIA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube