F1

Confira declarações dos pilotos após treino de classificação para GP da China de 2019

A classificação para o milésimo GP da Fórmula 1 teve um domínio inesperado da Mercedes. Valtteri Bottas liderou a dobradinha alemã, derrotando Lewis Hamilton por apenas 0s02 e colocando a dupla da Ferrari no bolso

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
O treino classificatório do GP 1000 da Fórmula 1, realizado neste sábado (13) em Xangai, teve domínio da Mercedes. Depois de treinos que indicaram ritmo parelho com o da Ferrari, o que se viu foi uma disputa pela pole ficando restrita a Lewis Hamilton e Valtteri Bottas. No fim das contas, o #77 levou a melhor e garantiu uma verdadeira honra – largar da posição de honra na milésima prova da categoria.
 
Para a Ferrari, restou a segunda fila. Sebastian Vettel, 0s3 atrás de Hamilton, larga em terceiro. Charles Leclerc, com um erro na volta rápida, larga em quarto. A Red Bull, em quinto e sexto respectivamente com Max Verstappen e Pierre Gasly, teve um Q3 conturbado: o holandês perdeu tempo ao ser ultrapassado por Vettel e, por tabela, bloqueou o francês. No fim, nenhum dos dois cruzou a linha de chegada a tempo de dar uma volta extra.
 
O pelotão intermediário teve liderança da Renault. Daniel Ricciardo larga em sexto, com Nico Hülkenberg em sétimo. Atrás, a Haas foi surpresa positiva: depois de treinos livres preocupantes, Kevin Magnussen e Romain Grosjean conseguiram vaga no top-10.
Lewis Hamilton, Valtteri Bottas e Sebastian Vettel (Foto: Mercedes)
A classificação teve apenas 18 pilotos anotando tempos de volta. Antonio Giovinazzi sofreu problemas de motor tão logo deixou os boxes no Q1. Alexander Albon, nem isso: o tailandês bateu forte no TL3 e o carro #23 não foi consertado a tempo.

Confira declarações dos pilotos após classificação na China:

Valtteri Bottas, pole: 
Pole da corrida 1.000, Bottas vê volta "apenas OK" em classificação mais apertada por melhora de Hamilton

Lewis Hamilton, segundo: Hamilton exalta “estelar Bottas” em batalha pela pole na China e comemora “resultado incrível” da Mercedes

Sebastian Vettel, terceiro: Vettel diz que Mercedes é “muito rápida” em curvas e planeja contra-ataque com velocidade nas retas na China

Charles Leclerc, quarto: Leclerc diz que “carro estava bom” e se culpa por erros na classificação da China: “Deveria ter feito melhor”

Max Verstappen, quinto: Verstappen reclama de ultrapassagem de Vettel antes de volta rápida no Q3: “Não é algo que se faz”

Pierre Gasly, sexto: Mesmo com melhor grid pela Red Bull, Gasly se diz insatisfeito e reclama por "brigar com o carro” na China

Daniel Ricciardo, sétimo: “Estou muito feliz pela equipe com o resultado de hoje. É muito bom ter os dois carros no Q3, é um resultado sólido. A batalha no meio do pelotão está muito apertada, e seu fim de semana pode mudar sem 0s1 ou 0s2, então é uma satisfação estar à frente nesta briga no meio. Minha volta no Q3 foi um pouquinho confusa no último setor, então fiquei feliz por ouvir que terminei em sétimo. Amanhã vamos realisticamente buscar segurar o top-7 e ver se vamos poder avançar para o sexto lugar.”
Daniel Ricciardo (Foto: Renault)
Nico Hülkenberg, oitavo: “É um resultado muito bom para a equipe. O carro vem se comportando bem, vem andando bem em todo o fim de semana, e nós tivemos uma boa classificação hoje. Conseguimos entrar no Q2 com apenas uma volta, o que é uma satisfação. Fiquei feliz com as minhas voltas, sabíamos que estaria bem apertado. O importante é o resultado da equipe e nós vamos poder ter uma boa corrida partindo de lá. Nosso ritmo de corrida ontem foi competitivo, o pacote parece bom e vamos lutar para terminar com os dois carros nos pontos.”

Kevin Magnussen, nono: “Foi bom estar no Q3, mas não tão bom ter feito zero voltas. Simplesmente perdemos isso. Todo mundo deixou os pits ao mesmo tempo, saí um pouco tarde, fiquei atrás de seis ou sete carros. Não consegui cruzar a linha antes da bandeira quadriculada. Estava atrás da fila, então não consegui fazer uma volta. Não acho que nós estaríamos muito melhor se tivéssemos feito a volta, mas ainda assim seria bom tentar. Ao menos nós temos alguns bons pneus para amanhã. Não estou tão otimista para domingo, mas espero que nós tenhamos um bom resultado. Temos de esperar e ver.”

Romain Grosjean, décimo: “Não fiquei muito satisfeito com minha primeira tentativa no Q2, tive uma grande travada na curva 8 e simplesmente não consegui completar a volta. Quando você tem uma chance, e o pelotão do meio está a 0s2, isso nos pressiona muito. Fizemos um bom trabalho e acho que nos recuperamos muito bem a partir de ontem, então fiquei feliz com isso. Obviamente, no Q3, nós talvez não tenhamos ajustado nossos relógios para o fuso horário chinês. Acho que o carro estava muito bom hoje, muito melhor do que ontem, então estou muito feliz com isso. A Renault pareceu muito forte ontem nos long-runs, então vamos ver se nós podemos nos manter ali com eles. Nós estamos em uma posição muito boa. Obviamente, não é o ideal ficar sem marcar tempo no Q3, mas eu acho que a hierarquia que vimos lá no Q3 é a mais representativa hierarquia do ano.”
Daniil Kvyat (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Daniil Kvyat, 11º: “Foi uma classificação apertada, como sempre, com uma margem muito estreita separando vários carros, então 0s1 significaria duas ou três posições no grid. Acho que fiz o melhor que pude hoje e o carro se comportou muito bem, mas nós ainda temos alguma margem para melhoria, ainda que, no geral, tenha sido uma sessão muito forte. Acho que foi nossa melhor classificação no ano até agora, e o Q3 escapou por 0s2, por isso é uma pena ficar fora por uma margem tão pequena. Com base no segundo treino, nós temos um carro forte para a corrida e uma boa posição de largada, então vamos tentar fazer nosso melhor para terminar dentro do top-10.”

Sergio Pérez, 12º: “12º lugar é um bom resultado. Estivemos a menos de 0s1 de passar para o Q3, então eu me sinto muito feliz com nossa performance considerando nossa velocidade no treino livre. Com uma volta perfeita, nós poderíamos ter feito um top-10, mas o vento tornou tudo muito difícil hoje. O pelotão do meio está muito apertado, e se você não tiver uma volta perfeita, você fica prejudicado. Preferiria ter ficado em 11º, mas nós estamos em uma boa posição. Há um ponto de interrogação sobre se o pneu macio ou o médio é o melhor, mas nós vamos avaliar as informações com os engenheiros nesta noite e tomar nossa decisão. Nós temos liberdade de escolha de pneus para a largada e, com uma boa estratégia, acho que nós podemos ganhar algum terreno amanhã e almejar os pontos.”

Kimi Räikkönen, 13º: “Diria que nós tivemos algumas boas voltas na classificação. A impressão na última delas foi mais como ela deveria ter sido. Estava sozinho no fim da reta em um determinado ponto e não tinha velocidade suficiente. Às vezes, isso acontece. Vamos descobrir amanhã o que podemos fazer na corrida.”

Carlos Sainz Jr., 14º: “Foi um pouco decepcionante hoje com o 14º lugar, mas já no terceiro treino nós vimos que seria muito difícil passar para o Q3. Sabíamos, a caminho de Xangai, que seria um circuito bem complicado para nós e que ele iria expor mais nossas limitações. No entanto, acho que nós conseguimos encaixar uma classificação decente. Talvez tenha perdido um décimo ou um décimo e meio na minha última volta, mas, no geral, acho que extraí muito de todo o potencial do nosso carro. Vamos analisar e trabalhar em cima dos nossos pontos fracos e vamos nos preparar para a corrida da melhor forma possível.”
Carlos Sainz (Foto: McLaren)
Lando Norris, 15º: “Hoje, obviamente, não foi tão bom como nos dois últimos finais de semana. Mas no geral, não acho que foi horrível. Ainda há algum trabalho a fazer com o carro. Como um todo, não havia muito mais a ganhar hoje: Carlos foi mais rápido do que eu, mas ele não estava à frente de mais ninguém. Acho que ele fez um trabalho muito bom ao tirar o máximo do nosso carro. Essa pista simplesmente não se encaixa com nosso carro na comparação com as duas primeiras. É simplesmente uma área que nós temos de trabalhar em cima.”

Lance Stroll, 16º: “Uma sessão frustrante. Definitivamente, poderia ter sido melhor. Ainda não estou conseguindo me ajustar 100% ao carro e cometi alguns erros na minha volta, o que me custou alguns décimos e, no fim das contas, é tudo isso o que conta. O pelotão do meio está muito, muito apertado, e cada décimo conta. Meu ritmo de corrida geralmente é bem melhor e acredito que vamos estar fortes amanhã, mas quando se trata dos sábados, precisamos ajustar algumas coisas para desbloquear aquele desempenho extra. Largamos em 16º na Austrália e terminamos em nono, então não há motivo pelo qual não podemos fazer o mesmo aqui. É uma corrida longa, e eu geralmente faço boas largadas, e você pode marcar pontos onde quer que você largue no grid, então é isso o que vou buscar fazer amanhã.”

George Russell, 17º: “Largar em 17º definitivamente é além do que eu esperava chegando para este fim de semana. Foi uma sessão bastante boa, estamos nos aproximando de todos e, como equipe, estamos um pouco mais competitivos. Nós estamos entendendo melhor o carro e tirando um pouco mais do acerto, o que nos permitiu buscar algum tempo de volta. Vamos lá dar tudo amanhã e ver o que podemos fazer.”

Robert Kubica, 18º: “Foi uma classificação bem surpreendente com o equilíbrio do carro. Sofri bastante na primeira volta, onde tive muita saída de traseira, o que não foi o esperado, uma vez que nós sofremos com as saídas de frente em todo o fim de semana. Temos de tentar entender isso como uma surpresa. Amanhã não vai ser fácil, a gestão dos pneus vai ser importante especialmente dependendo do ambiente e das temperaturas de pista, mas vai ser o mesmo para todo mundo.”
Robert Kubica (Foto: Williams)
Antonio Giovinazzi, 19º: “Não é o fim de semana mais sortudo até agora para mim. Tivemos um problema durante a classificação hoje, o que ainda estamos analisando. Tive de voltar para a garagem e não consegui voltar para fazer uma volta. É uma pena, mas ao menos essa pista oferece boas oportunidades para ultrapassar, então vou partir para a corrida do fim da fila amanhã com a meta de avançar o máximo possível.”

Alexander Albon, 20º: “Tive um acidente muito forte no terceiro treino livre, mas estou ok. Estou mesmo é muito decepcionado porque eu cometi um erro. Obviamente, ser rápido no terceiro treino realmente não ajuda muito, já que é a classificação que conta, mas ainda há pontos positivos a serem levados em conta. Estava jogando com a grama sintética na última curva por um tempo porque é um pouco mais rápido usando aquele trecho extra da pista. Você sempre perde um pouco e geralmente você pode se recuperar, mas desta vez eu fui um pouco ambicioso com o acelerador. Preferiria ter rodado do lado esquerdo da pista, mas o carro foi para a direita e eu acertei o moro. Olhando pelo lado positivo, tivemos um bom segundo treino livre e nosso ritmo de corrida parece bem forte, então estou otimista sobre a corrida amanhã. Não vai ser fácil, mas acho que nós temos ritmo para fazer várias ultrapassagens e espero que possamos marcar mais pontos.”