Consultor da Red Bull vê Honda “muito conservadora” com desenvolvimento de motor

O consultor Helmut Marko sente que a Honda está muito preocupada em evitar quebras, o que leva a Red Bull a não ter potência para ameaçar a Mercedes no começo da temporada

A Red Bull não está plenamente satisfeita com a abordagem da Honda quando o assunto é desenvolvimento de motor. Helmut Marko, consultor da escuderia de Fórmula 1, sente que os japoneses ainda são cautelosos demais ao atualizar a unidade de potência, o que dificulta uma caça ao alto nível de performance da Mercedes.

“A Mercedes deu, sem qualquer dúvida, um grande passo adiante”, disse Marko, entrevistado pela revista alemã ‘Auto Motor und Sport’. “Em configuração de classificação, eles têm mesmo muita potência. A Honda ainda é muito conservadora com a configuração do motor. Nossa abordagem é diferente nesse sentido. A gente prefere usar um motor a mais na temporada e, assim, conseguir atacar. Quando você recebe a punição na pista certa, o prejuízo não é tão grande”, seguiu.

A Honda tenta respeitar o limite de três motores por temporada, o que ajuda a criar uma imagem mais positiva após anos de quebras consecutivas com a McLaren. Para a Red Bull, entretanto, não é problema ter de usar um quarto motor.

Helmut Marko deu sua opinião sobre o desenvolvimento da Honda (Foto: Reprodução)

No caso do GP da Áustria do último fim de semana, a Red Bull se viu com o pior dos dois mundos. Além de ter menos performance do que a Mercedes, a escuderia sofreu com falhas mecânicas. Tanto Max Verstappen quanto Alexander Albon ficaram pelo caminho com problemas na unidade de potência.

Além do motor, outro problema que compromete o começo de temporada da Red Bull é a aerodinâmica. A equipe testou duas asas dianteiras diferentes no GP da Áustria, mas não teve conclusão clara sobre qual é melhor. A versão antiga ficou com Albon, mas o tailandês não conseguiu trazer informações conclusivas na comparação com a nova.

“Tem a ver com as características da asa em relação ao assoalho. Esse é o motivo para o Albon demorar até encontrar seu ritmo. Ele se perdeu um pouco por causa de uma troca de asa dianteira. Já estava combinado que o Max ia ficar [com a asa] caso só tivéssemos uma. Quando o Albon precisou trocar para a asa antiga, no começo não encaixou tão bem com o assoalho. E ele ainda estava um pouco enferrujado também. Quanto mais tempo tivermos, mais ele vai entrar no ritmo”, encerrou Marko.

A Red Bull tem uma nova chance na Fórmula 1 neste fim de semana. A categoria segue no Red Bull Ring, agora para realizar o GP da Estíria.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube