Consultor da Red Bull vê “tudo ou nada” e diz: perder título “seria uma decepção amarga”

Helmut Marko ressaltou o jejum de oito anos da Red Bull sem título na Fórmula 1 e deixou claro que uma eventual derrota de Max Verstappen perante a Mercedes e Lewis Hamilton será dolorosa

O FUTURO DAS CORRIDAS SPRINT E A IMPULSÃO DA F1 NOS EUA | TT GP #37

Recentemente, Max Verstappen foi questionado sobre a possibilidade de perder o título da temporada 2021 para Lewis Hamilton. Sem aparamentar grande temor, o holandês, hoje líder do Mundial de Pilotos, disse que uma eventual derrota “não vai mudar minha vida”. Mas Helmut Marko, consultor da Red Bull, discorda do piloto e vai na contramão. O dirigente austríaco entende que seria um terrível revés, diante do que os taurinos têm mostrado ao longo do ano, ver novamente a Mercedes e Hamilton sendo coroados campeões do mundo.

Em entrevista à revista alemã Auto Motor und Sport, Marko definiu o que seria uma derrota da Red Bull e de Verstappen nesta temporada.

“A vida continua, com certeza. Mas o título mundial é algo muito, muito importante para ele e para nós. Estamos atrás do título há algum tempo. Seria uma decepção amarga para Max se ele não conseguir”, disse.

FÓRMULA 1; MAX VERSTAPPEN; RED BULL; GP DA CIDADE DO MÉXICO;
Max Verstappen no Autódromo Hermanos Rodríguez (Foto: Lars Baron/Getty Images/Red Bull Content Pool)

LEIA TAMBÉM
+Andretti revela que decisão sobre controle da equipe impediu compra da Sauber
+Chefe da Mercedes cutuca até Alonso: “Você é parte do sistema solar, mas não é o sol”

“Se você considerar as estatísticas… quantos quilômetros percorremos, temos mais vitórias em corridas. Nosso fracasso em Baku… Já havia uma certa superioridade, mas isso não se reflete no placar”, salientou.

Os números, no fim das contas, mostram a grande temporada feita por Verstappen e pela Red Bull como um todo. O holandês venceu oito das 17 corridas do campeonato, enquanto Hamilton tem cinco triunfos. Max tem nove poles, contra apenas três de Hamilton. Max liderou 504 voltas, enquanto todos os demais dez pilotos que chegaram a liderar ao menos uma volta neste 2021 — Hamilton, Valtteri Bottas, Esteban Ocon, Charles Leclerc, Daniel Ricciardo, Sergio Pérez, Lando Norris, Carlos Sainz, Sebastian Vettel e Fernando Alonso — totalizam, juntos, 486 giros.

Marko foi questionado sobre a possibilidade de a Red Bull fazer mais uma troca de motor para Verstappen. O consultor acredita que Hamilton vai sofrer mais uma punição, mas entende que Max vai conseguir escapar e seguir em frente com a mesma unidade motriz nesta reta final da temporada.

“Em corridas normais e sem acidentes, podemos nos safar com nossos motores. Nosso nível de informação e nossa experiência dizem que Hamilton vai ter de trocar de novo”, palpitou.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“Até agora, temos sido absolutamente confiáveis sobre o motor Honda. Você nunca está imune a um defeito, mas a situação do motor é certamente mais tranquilizadora para a Honda do que para a Mercedes”, disse Helmut.

No fim das contas, ao ser questionado sobre o que vai decidir o campeonato, carro ou piloto, o dirigente austríaco não tem dúvidas.

“O piloto. Em primeiro lugar, as duas equipes devem ser perfeitas. O que nem a Mercedes e nem nós conseguimos até agora. Os erros em termos de estratégia, preparação e pit-stops são mínimos. Portanto, todo o pacote tem de ser o correto. Mas dá para ver que quando Bottas tem um bom dia aqui e ali, ele está na frente. O mesmo vale para Pérez. Mas ninguém consegue acompanhar os dois protagonistas. O piloto faz a diferença”, concluiu.

David Vidales quase decola e acerta Dino Beganovic. Os dois pilotos, da Prema, abandonaram em Monza (Vídeo: FRECA)
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar