Conversas com Dallara não avançam, e Haas pretende construir chassi próprio para F1: “Temos 50% do que precisamos”

Dono da Haas, Gene Haas afirma que acordo com Dallara seria necessária se equipe entrasse na categoria em 2015, mas para 2016, tem condições de fazer o próprio chassi ainda que vá necessitar do máximo possível de partes do "parceiro de tecnologia"

Gene Haas desistiu de utilizar chassis Dallara em sua primeira temporada na F1, que acontecerá em 2016. O acerto com a tradicional construtora da chassis parecia próximo, porém o dono da Haas F1 preferiu procurar apenas por uma "parceira de tecnologia" para ceder o máximo de peças possível.
 
Sob essas condições, segundo Haas, sua própria equipe tem capacidade de montar o chassi para o debute da equipe na categoria, daqui um ano e meio.
 
"Se fossemos correr em 2015, teríamos acertado com esse pacote. Temos 50% do que precisamos para começar a construir nossos próprios carros, e a meta principal é fazer isso, e é desse jeito que faremos", disse Haas à revista inglesa 'Autosport'.
 
"Mas essa lista de partes que podemos comprar, que está aumentando, queremos ser o time que tira vantagem dessa regra e tenta comprar o máximo de partes que conseguirmos. Custa demais fazer todas esses pequenos detalhes", seguiu.
Gene Haas prepara sua equipe para 2016 (Foto: Getty Images)
Ao passo que o chefe da equipe, Gunther Steiner, completa: "Vamos pegar a suspensão e essas partes de nossa parceira de tecnologia, pois o appendix 6 está mudando no próximo ano. Faremos o que sobrar, tipo o chassi. Se entrassemos em 2015, não teríamos tempo. Agora, que temos uma janela um pouco maior, podemos fazer nós mesmos. Com a lista expandindo, é como queremos agir. Dessa forma, as negociações serão um pouco longas com os parceiros, pois ninguém fez isso antes."
 
Apesar de o acordo parecer mais próximo com a Ferrari do que com qualquer outra candidata, já que Haas passou grande parte de sua estadia no Canadá com a equipe, o dono ainda afirma que nada está acertado.

"Passamos muito tempo com a Ferrari, e conversamos um pouco com a Mercedes. Fornecedor de motor é só uma parte da equação, ainda estamos trabalhando nisso", falou o dono.

 
"Até que tenhamos um contrato assinado, está aberto. Espero ter algo concreto nas próximas semanas. Apesar de não corrermos até 2016, um ano vai passar rápido. É importante ter relação com quem já possamos começar", finalizou.

Mesmo sem um acordo, Gene Haas deu sorte no Canadá ao ver uma das melhores corridas na temporada, que terminou com a vitória de Daniel Ricciardo e da Red Bull

Quer ter o prazer de guiar uma Ferrari e assistir ao GP da Itália em Monza?

Clique e saiba dos detalhes do pacote GRANDE PRÊMIO pelo e-mail

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube