Corrida na defensiva em Interlagos deixa Bottas incomodado: “Questão de tempo até me passarem”

Por falta de ritmo, Valtteri Bottas passou a maior parte do GP do Brasil apenas tentando impedir a passagem de outros pilotos. Não deu muito certo: enquanto Lewis Hamilton alcançava a vitória, o finlandês caía de segundo para quinto

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

Valtteri Bottas terminou a primeira volta em segundo, talvez de olho em briga com Lewis Hamilton pela vitória, mas viu tudo desmoronar ao longo das 71 voltas do GP do Brasil. Sem ritmo, o finlandês foi perdendo terreno e se viu obrigado a fazer uma das coisas que menos gosta: pilotar na defensiva para tentar evitar perda de posições.

 
“Eu tive que fazer isso [se defender] tantas vezes que em alguns momentos ficava irritante”, disse Bottas após o GP do Brasil; “Eu tentava me defender e você precisa se comprometer um pouco. Quanto você defende, quanto você sacrifica uma reta ou curva. Eu fiquei tentando, mas era questão de tempo até que as pessoas passassem”, seguiu.
 
Bottas perdeu posição para Max Verstappen ainda na primeira parte da prova. Após o ciclo de pits, Kimi Räikkönen e Daniel Ricciardo também acharam caminho. Valtteri terminou em quinto, na frente somente de Sebastian Vettel dentre os pilotos do pelotão dianteiro.
Valtteri Bottas quer atacar mais, e não só defender (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Valtteri já teve de fazer outras corridas defensivas em 2018, mas com a missão de ajuda Hamilton na briga pelo título – o GP da Hungria, quando o finlandês prejudicou a própria corrida para atrapalhar Vettel, foi um ponto de virada. Não foi o caso no Brasil, mas a decepção é parecida, ainda mais em uma etapa que começou com expectativa de ao menos um pódio.

 
“Poderia ser muito melhor. No primeiro trecho da corrida eu sofri com superaquecimento e no segundo tivemos bolhas nos pneus. Fiquei com ritmo meio lento quando tive bolhas nos pneus e, assim que o Ricciardo me passou, tínhamos um pit-stop de vantagem sobre quem vinha atrás [Vettel]. Por isso que paramos, para minimizar riscos. Virou uma questão de ir até o fim”, lamentou.
 
Os problemas em Interlagos significam que Bottas segue como único piloto do pelotão dianteiro ainda sem vitórias em 2018. O finlandês tem uma última chance de mudar isso no GP de Abu Dhabi, marcado para 25 de novembro.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube