De olho no banking de Zandvoort, Pirelli testa protótipos em Barcelona

A última curva de Zandvoort, inclinada em 18 graus, faz a Pirelli ser cautelosa. De olho no GP da Holanda, a segunda semana de testes contará com protótipos de pneus dianteiros. Mario Isola, chefe da fornecedora, destaca que “não há pânico”

A segunda semana de testes da Fórmula 1 em Barcelona vai contar com um novo composto fornecido pela Pirelli. Mario Isola, chefe da fábrica na F1, revelou a disponibilidade de pneus dianteiros protótipos, com o objetivo de abrir o leque de opções para o GP da Holanda, em Zandvoort.
 
A prova holandesa inspira cuidados da Pirelli por conta da última curva, que terá inclinação de 18 graus. Isso exige mais dos pneus, que serão levados ao limite.
 
“Vamos testar protótipos dos pneus dianteiros na próxima sessão”, disse Isola em coletiva acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO. “O protótipo foi desenvolvido com uma construção um pouco diferente porque ainda estamos analisando dados que estão chegando de Zandvoort. Fizemos algumas análises a respeito do banking e o plano é usar esses pneus com um pouco mais de pressão”, seguiu.
A Pirelli vai testar novidades em Barcelona (Foto: Pirelli)

“Como não estamos sabendo de tudo, não temos dados sobre o autódromo ou o asfalto, a ideia é testar uma construção diferente. Vai funcionar de uma forma diferente, é mais resistente”, destacou.

 
Isola frisou que o protótipo não significa necessariamente um temor da Pirelli a respeito de Zandvoort. Como as novas características do traçado ainda são uma incógnita, a fornecedora de pneus tenta se preparar para diferentes cenários.
 
“Foi algo que conversamos com a FIA, que concordamos com a FIA. Não quero ouvir comentários sobre pânico. Não há pânico. É parte de um processo sério e profissional em que precisamos estar prontos. Talvez a gente vá com os pneus normais usando as medidas apropriadas, mas preferimos testar também a dirigibilidade de uma construção diferente. Temos a oportunidade aqui em Barcelona”, encerrou.
 
A última vez que a F1 lidou com uma curva inclinada de alta velocidade foi em Indianápolis, onde correu entre 2000 e 2007. A edição de 2005 entrou para a história de forma negativa: os pneus Michelin não suportavam a inclinação da curva 13, o que levou oito de 11 equipes a desistir da prova. Somente as três escuderias parceiras da Bridgestone competiram, deixando o grid com seis carros.

GRANDE PRÊMIO cobre AO VIVO, em TEMPO REAL e 'in loco' os testes de pré-temporada da F1 em Barcelona com o repórter Vitor Fazio. Siga tudo aqui.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube