Diretor da McLaren diz que falta de carro competitivo pode ajudar a determinar futuro de Alonso na F1

Éric Boullier considera Fernando Alonso o melhor piloto do mundo. Mas sabe que é preciso entregar um carro capaz de obter bons resultados para que o bicampeão possa continuar na McLaren e na F1 como um todo. O engenheiro francês inclusive já começou a conversar com o piloto sobre 2018, ainda que de forma breve

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Fernando Alonso está no seu último ano de contrato com a McLaren. Por várias vezes, o bicampeão do mundo disse que seu futuro na equipe e na F1 como um todo será condicionado à forma como a categoria vai se desenvolver em 2017, mas a falta de um carro realmente capaz de levá-lo às vitórias — algo que não acontece desde 2013 — pode determinar qual será seu destino no Mundial.

 
Antes da pré-temporada, havia um certo clima de otimismo na McLaren. Clima que arrefeceu totalmente depois das duas sessões de testes de inverno. O novo motor Honda apresentou uma série de problemas e fez com que a equipe de Woking fosse a que menos andou em Barcelona, prejudicando os trabalhos de Alonso e seu novo companheiro de equipe, Stoffel Vandoorne.
 
Éric Boullier, diretor de corridas da McLaren, é claro quando é questionado sobre quem considera o melhor piloto da atualidade. O engenheiro francês aponta Alonso como o mais capacitado do grid, mas entende que os resultados não correspondem ao talento do espanhol porque, para o êxito completo, é preciso estar na equipe certa e na hora certa. Tudo o que não aconteceu com Alonso nos últimos tempos.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Éric Boullier entende que falta de carro competitivo pode definir futuro de Alonso na F1 (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
A McLaren vive um momento complicado desde 2015, quando Alonso retornou à equipe após passagem de cinco anos pela Ferrari. Fernando jamais voltou ao pódio e obteve como melhor resultado três quintos lugares (um em 2015 e dois no ano passado). Muito pouco para um piloto que ostenta o cartel de Fernando Alonso.
 
Em entrevista ao diário espanhol ‘AS’, Boullier disse que o futuro de Alonso na F1 depende muito de um carro competitivo. Algo que a McLaren não dispõe no momento. Questionado sobre a possibilidade de o espanhol continuar na equipe mesmo com a falta de bons resultados, Boullier respondeu.
 
“As pessoas falam muito. Acho que Fernando está sendo sincero conosco da mesma forma que nós em relação a ele. Todos queremos estar no topo com o novo regulamento. Ele gosta desta nova F1, ele já disse isso nas férias. O primeiro passo é ser mais competitivo, temos algo para demonstrar e ele, a si mesmo, também. Se somos competitivos, ele vai estar contente e, se não, ele vai tomar suas decisões”, afirmou.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O dirigente disse que já começou a conversar com Alonso sobre 2018, ainda que brevemente. “Sim, mas ainda é muito cedo, mas claro que conversamos. Não quero dar muitas informações porque sei que muitas equipes o querem, mas ele é o melhor. Sem dúvida. É o melhor porque o é, claramente, mas ele pode comprovar”, destacou, elogiando seu piloto.

 
Boullier acredita que o talento de Alonso não se converteu em melhores resultados por conta do destino traçado pelo bicampeão. “É muito fácil. Na F1 a equipe é fundamental, estar no momento certo, a equipe no momento certo, com o motor certo. Mas você sabe, sabe que ele é o melhor e tudo o que aconteceu, talvez até melhor do que eu”, completou.

PADDOCK GP #69 DEBATE ABERTURA DA INDY, TESTES DA F1 E MOTOGP E LEMBRA JOHN SURTEES

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube