Diretor-técnico diz que Williams ainda tenta entender motivo de atualizações falharem em corresponder às expectativas

Diretor-técnico da Williams, Pat Symonds admitiu que a escuderia inglesa ainda não sabe o motivo de as atualizações de 2016 não terem funcionado como esperado. Dirigente, no entanto, se mostrou confiante na capacidade do time de sanar as dificuldades

Ameaçada pela Force India na classificação do Mundial de Construtores, a Williams segue tentando entender a razão de as atualizações não estarem funcionando em 2016.
 
Nos últimos dois anos, a Williams conseguiu reverter para a pista os bons resultados obtidos na fábrica, mas isso não tem acontecido em 2016. E a situação ficou ainda mais difícil com a opção do time de Grove de mudar o foco para o carro do próximo ano e trazer poucas atualizações ao longo desta temporada.
Williams quer entender motivo para atualizações não funcionarem (Foto: Getty Images)

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Em entrevista à publicação inglesa ‘Autosport’, Pat Symonds, diretor-técnico da Williams, admitiu que a equipe ainda não sabe a razão para as atualizações não terem funcionado.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“Nos últimos dois anos, nós nos orgulhamos por termos trazido para a pista coisas que tiveram a performance que antecipamos”, disse Symonds. “Durante esse tempo, só teve uma coisa que trouxemos que não fez o que esperávamos que faria, então este é um bom recorde”, seguiu.
 
“Este ano, nós tivemos duas grandes desenvolvimentos e eles não entregaram tanto quando esperávamos”, reconheceu. “Nós decidimos mudar para o carro do próximo ano cedo. Nós introduzimos menos atualizações do que o normal, e algumas delas não funcionaram como esperávamos”, frisou.
 
“Vou ser honesto e dizer que não estamos completamente certos ainda e estamos fazendo uma grande investigação a respeito no momento”, anunciou. “Vamos chegar ao fundo disso, é a natureza do jeito de trabalhar da Williams, e olhamos para as coisas muito detalhadamente, então vamos resolver”, garantiu.
 
Ao longo do ano, a Williams foi uma das equipes com dificuldades para aquecer os pneus Pirelli. Chefe de performance, Rob Smedley afirmou que a equipe precisa de mais experiência na área, algo com que Symonds concorda.
 
“Como um time, me sentiria mais confortável se estivéssemos mais por dentro dos pneus”, reconheceu. “É um assunto complicado para todos nós e é uma área onde sinto que precisamos colocar mais recursos”, completou.
PADDOCK GP #41 ABORDA F1, MOTOGP, OLIMPÍADA E MORTE DE CLAUSON

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube