Engenheiro da empresa de Tilke garante pista do GP da América pronta a tempo: “Não falhamos”

As obras de construção do circuito de rua em Nova Jersey para o GP da América, previsto para começar em 2014, devem começar nas próximas semanas

Por meio do engenheiro Christian Epp, a empresa de Hermann Tilke garante: haverá GP da América, nas ruas de Nova Jersey, em 2014. O trabalho de preparação do circuito urbano deve começar em questão de semanas.

Inicialmente prevista para acontecer em 2013, a prova foi cancelada ainda em 2012, quando se chegou à conclusão de que não seria possível aprontar a pista a tempo. Para colocar ainda mais dúvidas sobre a realização do evento, diretores deixaram o grupo organizador, no mês passado, o que foi amenizado com a contratação de Chris Pook, o fundador do GP de Long Beach.

Prova em Nova Jersey terá a cidade de Nova York de fundo (Foto: Red Bull/Getty Images)

Em entrevista ao jornal texano ‘American Statesman’, Epp, que gerenciou o projeto de construção do Circuito das Américas, em Austin, afirmou que o planejamento para a preparação do traçado em Nova Jersey está pronto. “Agora é transformá-lo em realidade. Eu diria que, no momento, tudo parece bem”, disse o engenheiro.

O engenheiro, contudo, destacou que a tarefa de projetar o circuito às margens do Rio Hudson é complicada, dada a alta densidade populacional da área. “Há muita coisa que precisa estar no lugar. Há muito mais trabalho nos bastidores do que você imagina”, afirmou o projetista.

“Você está constantemente enfrentando restrições… moradores, passageiros, bombeiros. Isso torna o projeto bem desafiador”, disse.

Apesar disso, Epp está otimista. “Não falhamos nos últimos 20 anos para entregar um projeto dentro do prazo”, assegurou.

As imagens da quinta-feira da F1 em Montreal
AMK Viagens lança pacote especial para GP da Itália em Monza
Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

Corrida em Nova Jersey deve impulsionar prova de Austin

Na visão de Epp, uma segunda prova nos Estados Unidos não vai concorrer com o GP dos EUA, e, sim, colaborar. “Acho que será uma ajuda enorme para Austin”, opinou.

Esse ponto de vista é compartilhado por Bobby Epstein, presidente do GP da América. “Quanto mais corridas acontecerem no nosso fuso horário, melhor é para o crescimento do esporte e mais fácil se torna para os fãs abraçarem. Consequentemente, mais fãs americanos será muito bom para a corrida de Austin”, declarou o empresário.

O GP de Mônaco de 2013 foi a maior audiência da F1 nos últimos seis anos nos Estados Unidos. Ao todo, 1,45 milhão de telespectadores acompanharam a prova pela emissora NBC Sports. Em 2007, o GP do Canadá foi visto por 1,49 milhão de pessoas no canal FOX. Não coincidentemente, essa corrida foi disputada em um fuso horário bem mais agradável para os estadunidenses, em comparação às corridas realizadas na Europa e na Ásia.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube