F1 adia GP da Austrália, Bahrein abre temporada em 28 de março e Ímola volta

O circuito de Sakhir será o novo palco da abertura da temporada 2021 da Fórmula 1. A Fórmula 1 confirmou o adiamento do GP da Austrália, agora remarcado para 21 de novembro, e também a volta de Ímola ao calendário, recebendo a segunda etapa do ano em 18 de abril

A realização do GP da Austrália de Fórmula 1 em 2021 está oficialmente adiada. A prova, prevista no calendário original da nova temporada para 21 de março, foi movida para exatos oito meses depois, em 21 de novembro, remetendo aos tempos em que o evento era realizado no fim do ano, até 1995. Na esteira do adiamento da corrida em Melbourne, a Fórmula 1 anunciou, nesta manhã de terça-feira (12), que o GP do Bahrein vai ser o novo palco de abertura do campeonato no fim de semana de 26 a 28 de março. E Ímola está de volta ao calendário e será palco da segunda etapa de uma temporada 2021 que promete ser mexida outras vezes em razão dos efeitos da pandemia. O circuito italiano, contudo, carece de homologação por parte da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para receber a prova em 18 de abril.

A situação da corrida australiana para março ficou bastante complicada depois que o governo local determinou novas regras para conter o avanço da Covid-19 no país. Toda pessoa que por lá desembarque tem de obrigatoriamente cumprir 14 dias em regime de quarentena, algo considerado impossível de ser praticado pela Fórmula 1.

Entre 8 e 23 de fevereiro, Melbourne vai ser palco do primeiro grand-slam da temporada 2021 do tênis e vai receber o Australian Open (Aberto da Austrália), no qual os atletas inscritos vão ter de ficar em quarentena antes de disputarem a competição, que originalmente costuma ser realizada nos primeiros dias de janeiro.

O GP da Austrália, previsto para março de 2021, agora está marcado para novembro (Foto: Reprodução)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Diante de um cenário que só tende a arrefecer no segundo semestre, na esteira dos efeitos da vacinação em massa em boa parte do mundo, o evento foi movido para novembro, no dia 21. Tal cenário acarretou também mudanças em todo o cronograma da parte final do calendário.

O GP de São Paulo, outrora marcado para 15 de novembro, foi antecipado em uma semana para dar mais tempo de logística e deslocamento para que a Fórmula 1 viaje para a Austrália. O GP da Arábia Saudita, novidade no calendário para 2021, e o de Abu Dhabi, que fecha a temporada, foram movidos para uma semana depois do cronograma original. A corrida nas ruas de Jedá agora está marcada para 5 de novembro, com a prova derradeira do campeonato, em Yas Marina, para uma semana depois.

O fato é que o segundo semestre da temporada, assim como foi em 2020, será uma enorme maratona para todos os envolvidos com a Fórmula 1. De 29 de agosto, com o GP da Bélgica, até 12 de dezembro, com a etapa em Abu Dhabi, o calendário reserva um total de 12 corridas num espaço de 16 semanas. Finais de semana livres? Os domingos em 19 de setembro, 17 de outubro, 14 e 28 de novembro.

Pairam também dúvidas sobre o GP da China, corrida marcada para 11 de abril, uma vez que o país também enfrenta restrições para evitar a propagação do vírus e ainda não abriu as portas do país para que eventos esportivos internacionais e de grande porte possam voltar a ser realizados. A organização da prova em Xangai também negocia com a FIA a possibilidade de voltar a realizar seu GP de Fórmula 1 no segundo semestre. Assim como o GP da Austrália, o GP da China também foi cancelado no ano passado.

Já o Bahrein, em que pese a permanência do estado de pandemia ao redor do mundo, já vende ingressos para a corrida em 28 de março, inclusive no site oficial da Fórmula 1. O país insular vai receber o Mundial apenas alguns meses depois de sediar duas provas consecutivas, no fim de novembro e no primeiro fim de semana de dezembro de 2020.

Há uma lacuna no calendário em 2 de maio. O GP de Portugal, que empolgou no ano passado com o debute de Portimão no calendário da Fórmula 1, é cotado para ocupar a vaga uma semana antes da realização do GP da Espanha, que foi oficialmente confirmado depois que a organização da prova anunciou a renovação de contrato com a categoria para 2021.

Etapa da China de 2021 corre o risco de ser adiada para o segundo semestre (Foto: Sutton Images/Pirelli)

“Foi um começo de ano agitado na Fórmula 1 e temos o prazer de confirmar que o número de corridas planejadas para a temporada permanece o mesmo. A pandemia global ainda não permitiu que a vida voltasse ao normal, mas mostramos em 2020 que podemos correr com segurança como o primeiro esporte internacional a retornar, e temos a experiência e os planos para cumprir nossa temporada”, afirmou Stefano Domenicali, novo presidente e CEO da Fórmula 1, tendo assumido em 1º de janeiro o posto que até então era ocupado por Chase Carey.

“É uma ótima notícia, já que conseguimos chegar a um acordo sobre uma data remarcada para o GP da Austrália e estamos continuando a trabalhar com nossos colegas chineses para encontrar uma solução e correr lá em 2021 se algo mudar”, complementou.

“Estamos muito animados em anunciar que Ímola vai retornar para a temporada 2021 e sabemos que nossos fãs estarão ansiosos pelo retorno da Fórmula 1 após as férias de inverno e a abertura revisada da temporada no Bahrein. Obviamente, a situação do vírus continua fluida, mas tempos a experiência da última temporada com todos os nossos parceiros e promotores para nos adaptarmos de forma adequada e segura em 2021”, finalizou o novo homem-forte da Fórmula 1.

Com a definição da nova sede da prova de abertura do campeonato, a Fórmula 1 resta definir o destino os testes de pré-temporada. Segundo o jornalista italiano Roberto Chinchero, o Bahrein venceu a concorrência com Barcelona e vai abrigar uma sessão de três dias, período previamente planejado pela categoria, entre 12 e 14 de março. A data, contudo, ainda não foi oficialmente confirmada pela FIA.

Jean Todt, presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), acredita que o primeiro semestre não vai ser normal em termos de calendário para a Fórmula 1, dando a entender que outras mudanças estão por vir.

Em entrevista veiculada pela revista britânica Autosport, o dirigente francês lembrou que não dá para falar em normalidade de maneira tão imediata. “Infelizmente, não acabou”, disse.

“Não é como se a temporada estivesse começando, e aí começamos com uma folha de papel em branco. O lockdown ainda vai acontecer, o confinamento… O vírus está aí”, salientou Todt.

“Tem havido algum progresso. Estamos esperando uma vacina, então vai ser bom para a população, bom para o planeta aproveitar isso. Mas tenho certeza de que, nos próximos dias, ouviremos muitas mudanças potenciais em diferentes calendários, não somente da Fórmula 1, mas em outros calendários”, explicou.

“Se tivesse de me comprometer de volta a um tipo de normalidade, mesmo que sinta que vai ser uma vida diferente na esteira da crise da Covid-19, acho que metade do ano, na minha opinião, não vai ser como poderíamos esperar ter em uma temporada normal”, acrescentou o dirigente francês.

Fórmula 1 2021, calendário revisado:

 DATAETAPACIRCUITO
128/3GP DO BAHREINSAKHIR
218/4GP DA EMÍLIA ROMANHA *ÍMOLA
32/5A CONFIRMARA CONFIRMAR
49/5GP DA ESPANHABARCELONA
523/5GP DE MÔNACOMONTE CARLO
66/6GP DO AZERBAIJÃOBAKU
713/6GP DO CANADÁMONTREAL
827/6GP DA FRANÇAPAUL RICARD
94/7GP DA ÁUSTRIARED BULL RING
1018/7GP DA INGLATERRASILVERSTONE
111/8GP DA HUNGRIAHUNGARORING
1229/8GP DA BÉLGICASPA-FRANCORCHAMPS
135/9GP DA HOLANDAZANDVOORT
1412/9GP DA ITÁLIAMONZA
1526/9GP DE SINGAPURAMARINA BAY
163/10GP DA RÚSSIASÓCHI
1710/10GP DO JAPÃOSUZUKA
1824/10GP DOS ESTADOS UNIDOSAUSTIN
1931/10GP DA CIDADE DO MÉXICOHERMANOS RODRÍGUEZ
207/11GP DE SÃO PAULOINTERLAGOS
2121/11GP DA AUSTRÁLIAMELBOURNE
225/12GP DA ARÁBIA SAUDITAJEDÁ
2312/12GP DE ABU DHABIYAS MARINA

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube