Ferrari em crise? Situação é “excelente” e salvou família Agnelli, revela Cesare Mannucci

A situação financeira da Ferrari sempre foi alvo de curiosidade da imprensa, principalmente na Itália. Nos últimos anos, com a venda de ações na Bolsa de Nova York, os negócios da empresa passaram a mudar. No Cadeira Cativa #14, Cesare Maria Mannucci detalhou como são divididas as porcentagens acionistas da fábrica

No Cadeira Cativa #14, Flavio Gomes, Cesare Maria Mannucci e Luiz Alberto Pandini discutiram a situação financeira da Ferrari, uma das mais tradicionais equipes da Fórmula 1. Nos últimos anos, a Ferrari diversificou seus investimentos e colocou ações na Bolsa de Nova York.

“Na realidade, a Ferrari foi tirada da FCA [Fiat Chrysler Automobiles]. Hoje, a Ferrari é uma public company [empresa de capital aberto, em português]”, declarou Mannucci.

O Cadeira Cativa é o programa do GRANDE PRÊMIO que recebe jornalistas e personalidades marcantes da cobertura de esporte a motor do Brasil.

Assista ao trecho completo abaixo:

Clube das 300+

A Red Bull é uma das principais equipes dos anos recentes da Fórmula 1, mas também vai ocupando páginas importantes na história da categoria. No GP da Turquia, os austríacos chegam ao marco de 300 corridas na F1, entrando para um seleto grupo.

Ao todo, a Red Bull soma 63 vitórias, 62 poles, 67 voltas mais rápidas, 180 pódios e 17 dobradinhas nas 299 corridas que disputou com 11 pilotos diferentes. Tudo isso, é claro, além dos quatro títulos do Mundial de Pilotos e do Mundial de Construtores, todos entre 2010 e 2013.

No 10+, o GRANDE PREMIUM relembra quais as dez equipes que mais vezes participaram de corridas da F1, um grupo em que a Red Bull, 11ª colocada na lista, está cada vez mais perto de se meter, possivelmente já em 2022.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube