Ferrari reconhece ano dominante, mas crê: “Verstappen vai cometer erros sob pressão”

Chefão da Ferrari, Frédéric Vasseur fez uma análise da temporada de Max Verstappen em 2023 e falou sobre o domínio e a perfeição do holandês, mas também apontou um cenário diferente se o tricampeão passar a ser desafiado

Max Verstappen viveu uma temporada histórica na Fórmula 1 em 2023. Além do terceiro título consecutivo, o holandês da Red Bull venceu 19 das 22 corridas do campeonato, empilhou recordes e não tomou conhecimento dos adversários. Ao analisar a performance do rival, Frédéric Vasseur reconheceu o domínio, mas fez uma ressalva. O chefão da Ferrari entende que, em uma disputa mais acirrada, Max vai começar a cometer erros.

Em sua jornada neste ano, Verstappen foi derrotado em duas oportunidades por seu companheiro de equipe, Sergio Pérez, na Arábia Saudita e no Azerbaijão. Mais tarde, em Singapura, se viu longe da disputa pela vitória depois de um erro de acerto da própria Red Bull. No mais, Max até travou alguns duelos mais apertados contra Carlos Sainz na Itália e Lando Norris em Silverstone, além de algumas corridas em que precisou se recuperar de uma classificação complicada, como em Austin e Miami. Ainda assim, quase sempre foi capaz de encontrar o caminho do triunfo, anulando os oponentes.

Relacionadas


“Creio que não há muita dúvida sobre a mega temporada que ele fez neste ano”, disse o dirigente em declaração ao site da revista inglesa Autosport. “Ele disputou umas duas ou três corridas com Pérez e depois foi para outro planeta. Então, é evidente que não cometeu erros. Esteve sempre lá, fazendo boas largadas e evitando qualquer colisão”, completou.

LEIA TAMBÉM
+Opinião GP: Verstappen é bálsamo em meio a uma das piores temporadas da história da F1

Frédéric Vasseur espera pressionar Verstappen em 2024 (Foto: Rodrigo Berton/Warm Up)

“Acho que também não o colocamos sob pressão, embora tenha tido mais trabalho em algumas provas, como em Zandvoort. Mas a questão para nós, assim como para todos outros, é que ele vai começar a cometer erros sob pressão”, emendou o ferrarista, citando o GP de Singapura em que a equipe italiana venceu com Sainz.

“É verdade que ninguém o pressionou nesta temporada, exceto nós, em Singapura. E foi aí que ele cometeu erros ou talvez a Red Bull tenha se equivocado em termos de configuração. Mas, de toda a forma, estivemos longe de uma disputa ao longo do ano”, reconheceu.

A Ferrari foi a única a quebrar a sequência de vitórias dos taurinos em 2023. Ainda assim, a escuderia italiana concluiu o ano na terceira posição no Mundial de Construtores, 3 pontos a menos que a Mercedes, a vice-campeã. Já a esquadra austríaco fechou o Mundial com 860 tentos, mais do que o dobro do time alemão. Enquanto isso, Max somou 575 pontos.

LEIA TAMBÉM
+Verstappen lidera lista de pilotos mais bem pagos da Fórmula 1 em 2023

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente: Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.