FIA rejeita protesto da Red Bull contra DAS da Mercedes “por não ter fundamento”

O DAS pode estar banido para 2021, mas para 2020 está absolutamente liberado. A FIA confirmou após protesto feito pela Red Bull na Áustria

Demorou bastante, mas no meio da madrugada de sábado na Áustria, noite de sexta-feira (3) no Brasil, a FIA chegou a uma conclusão no caso do protesto oficial da Red Bull por conta do DAS da Mercedes. De acordo com o órgão máximo do automobilismo mundial, o protesto foi “rejeitado por não ter fundamento”.

“Como conclusão geral, é muito simples concluir que o DAS seria ilegal caso não fosse parte do sistema de direção”, explica o documento da FIA. “Então, o principal desafio e debate precisa ser se pode ser considerado parte do sistema de direção”, disse.

Na sequência, o corpo técnico da FIA compartilha a conclusão de que considera, sim, o DAS como parte do sistema de direção do carro.

A conclusão técnica da FIA explica que existe a liberdade de as rodas poderem mover o volante de qualquer maneira que preferirem contanto que não utilizem um dispositivo eletrônico e que, no que diz respeito às rodas, apenas duas podem ter as direções alteradas de maneira mecânica: no caso da Mercedes são as duas da frente. Em linhas gerais, isso quer dizer que, usando o volante, o movimento pode ser feito da forma que for.

A decisão da Red Bull em protestar o DAS era cantada há algum tempo. Antes do GP da Austrália, o chefe Christian Horner avisou que isso aconteceria caso a Mercedes utilizasse o sistema testado durante a pré-temporada. Na Áustria, o time de casa se calou, enquanto a Mercedes confirmou que pretendia utilizar o DAS.

Foi exatamente o que aconteceu: a novidade apareceu logo na manhã do primeiro dia de atividades. E a Red Bull protestou, conforme era esperado. O que se acredito ao redor do paddock, porém, é que a equipes dos energéticos desenvolveu o próprio DAS e o protesto foi uma forma de confirmar a validade.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube