GP às 10: Ferrari chega aos 1.000 GPs na F1 em crise, sim, e sem chances de sair do buraco

A Ferrari vive um dos piores momentos de sua história. Sexta colocada no Mundial de Construtores, a equipe não pontua há duas corridas e tem um carro mal nascido. E é assim que chega para o GP 1.000 no Mundial, como isso aconteceu? O GP às 10 fala do momento de crise ferrarista e o que pode acontecer

A Ferrari, a equipe mais vitoriosa do grid, chega ao GP 1.000 de sua história em um momento de crise, de fracos resultados e de enorme cobrança por desempenho. GP da Toscana será realizado, neste fim de semana, na pista de Mugello, que é do time vermelho. E a SF1000 ganhou esse nome para comemorar a data, mas é um carro complexo, que sofre com a falta de performance aerodinâmica e com um motor que possui um déficit significativo de potência. As etapas da Bélgica e da Itália escanaram os problemas, e a esquadra terminou zerada as duas corridas.

A prova em Monza, disputada no último domingo, foi tensa, marcada pelos problemas de freios no carro de Sebastian Vettel e pelo sério acidente sofrido por Charles Leclerc na Parabólica. A ausência de desempenho foi alvo de críticas da imprensa italiana, que não perdoou o fracasso na corrida caseira do time de Maranello.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!


Por conta do resultado negativo, a Ferrari ocupa apenas a sexta colocação no Mundial de Construtores, pior posição desde o início dos anos 80, quando a esquadra passou por uma grave crise. No momento, são 61 pontos na tabela, contra 281 da Mercedes, a líder do campeonato.

Há uma solução para a desastrosa temporada da Ferrari na F1? O GP às 10 tenta explicar.  

LEIA MAIS:

+Ferrari volta às origens e adota pintura retrô para milésima corrida na Fórmula 1
+Sem motor e sem comando, Ferrari vive pior GP da Itália desde 1995 com abandono duplo
+Red Bull é humilhada por Mercedes sem ‘modo festa’. E Ferrari sofre com ‘modo vergonha’

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube