GUIA 2021: Ferrari revisa carro e chama Sainz para tentar retomar posto no top-3

Após um ano desastroso em 2020, a Ferrari só deseja uma temporada de paz, antes da revolução do ano que vem. Por isso, revisou todo o projeto para criar a SF21 e ainda renovou ares com a chegada do promissor Carlos Sainz

Como foi o terceiro e último da F1 em Sakhir (Vídeo: GRANDE PRÊMIO)

Equipe mais icônica do grid da Fórmula 1, a Ferrari enfrenta em 2021 uma temporada em que busca a redenção. Depois de um campeonato fraco e decepcionante no ano passado, a escuderia promoveu por duas vezes uma reorganização interna, realinhou departamentos e distribuiu mais funções aos homens de confiança, que ainda respondem a Mattia Binotto. A reestruturação foi a responsável pelo projeto da SF21, o carro que será conduzido por Charles Leclerc, que vai para o seu terceiro Mundial com os italianos, e Carlos Sainz, contratado para substituir o tetracampeão Sebastian Vettel, demitido antes mesmo do início da temporada passada. Portanto, Maranello terá muito o que fazer a partir de 28 de março.

Isso porque o fracassado 2020 ainda ecoa pelas garagens ferraristas. Além de um clima pesado durante a temporada por conta da decisão de dispensar Vettel, a problemática SF1000 também se mostrou difícil. O motor foi o principal vilão: depois de um estranho acordo com a FIA (Federação Internacional de Automobilismo), em que foi apontada irregularidades com a unidade de potência, a Ferrari perdeu rendimento. E tudo isso junto resultou em uma queda de performance acentuada, de um forte vice-campeonato em 2019 para um frustrante sexto lugar.

A verdade é que os italianos ficaram de mãos atadas. Não estavam autorizados a mexer no motor e, como desgraça pouca é bobagem, pouquíssimas atualizações ao longo do ano deram certo. Assim, a equipe decidiu por uma mudança completa para essa temporada. E o primeiro ponto foi exatamente a unidade de potência. Os engenheiros trabalharam em novos desenhos e melhoraram a performance – estima-se um aumento de 30 cv. Além disso, o projeto trouxe novas asas e demais recursos aerodinâmicos para tentar recuperar a perda de downforce imposta pelo regulamento. A Ferrari também mexeu na parte traseira e trouxe um novo assoalho.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

WEB STORIES: Band se prepara para transmitir F1 até champanhe acabar’

FERRARI; CHARLES LECLERC; SF21; PRÉ-TEMPORADA; DIA 1;
A Ferrari testou diversos elementos aerodinâmicos ao longo dos 3 dias de testes no Bahrein (Foto: Reprodução)

Os testes de pré-temporada no Bahrein mostraram que o time italiano conseguiu sanar algumas falhas do carro do ano passado, mas ainda tem um caminho a percorrer. Embora a velocidade de reta já se configure um ponto forte do novo modelo, assim como o desempenho melhor em ritmo de classificação, a performance de corrida preocupa. O carro apresentou um desgaste excessivo dos pneus traseiros. De qualquer forma, a Ferrari fez a lição de casa.

Só que, neste momento, parece otimista demais pensar em retorno ao posto deixando em 2019. A equipe vermelha ainda não tem estofo para uma briga mais intensa com Mercedes e Red Bull – esse salto não será imediato. Maranello deve seguir ainda no pelotão intermediário, mas não em sua ponta de baixo. A disputa será mesmo na frente, tendo como principais rivais a McLaren, a Alpine, a AlphaTauri e, eventualmente, a Aston Martin.

A boa notícia é que a Ferrari tem dois ótimos pilotos em suas garagens. Leclerc cresceu absurdamente desde o ano passado. A desastrosa temporada mostrou um monegasco mais brigador. Chales obteve resultados surpreendentes com a fraca SF1000, foi ao pódio por duas vezes e viveu corridas de recuperação e combatividade. Tirou leite de pedra, como se diz. Conta a favor o fato de que o jovem piloto possui um vínculo longo com os italianos e é considerado como a grande aposta da escuderia para o futuro.

CHARLES LECLERC; CARLOS SAINZ; FERRRI; PRÉ-TEMPORADA; F1; FÓRMULA 1;
Charles Leclerc revelou que se dá bem demais com Carlos Sainz (Foto: Scuderia Ferrari)

Para completar a dupla, a Ferrari tirou Carlos Sainz da McLaren. O espanhol já é um gato escaldado do grid, com passagens pela Toro Rosso, Renault e a própria equipe inglesa. A experiência certamente vai desempenhar um papel fundamental no trato com a Ferrari. Sainz está em grande forma, especialmente depois disputar dois fortes campeonatos pelo time de Woking. O amadurecimento do piloto de 26 anos é nítido, por isso a escolha da equipe italiana é mais do que acertada.

Só tem um ponto: no papel, de fato, o grupo ferrarista parece muito bem azeitado, mas o potencial para um embate interno é grande. Ainda que pareçam entender a importância de se ter um bom relacionamento debaixo do mesmo teto, é pouco inteligente pensar que Carlos não vai querer se impor logo para não cair na armadilha de virar um segundão. Enquanto isso, Leclerc é o líder e não vai querer disputar os holofotes.

Portanto, a Ferrari já começa o ano tentando não só dar performance ao carro, mas também de olho em confronto que, mais ou mais tarde, terá de lidar.

GUIA F1 2021
+F1 se prepara para duelo Hamilton x Verstappen em ano pandêmico e incerto
+Mercedes enfrenta revés com carro instável, mas abre temporada favorita
+Verstappen encara perspectiva de briga por título e desafio com Pérez

+Gasly muda de patamar e se mostra pronto para liderar AlphaTauri
+McLaren ganha reforços e mira consolidação no top-3 da Fórmula 1
+Alpine ousa com carro arrojado e mira top-3 no retorno de Alons

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube