Hamilton vê falta de ritmo da Mercedes em Austin e fica sem entender motivo: “Foi um sofrimento”

Lewis Hamilton não sabe muito bem o que causou a perda de ritmo da Mercedes nos Estados Unidos. O britânico tem várias hipóteses, variando entre a necessidade de trocar as bombas de água do carro e danos detectados no assoalho

Lewis Hamilton largou em Austin com ares de favoritismo neste fim de semana, mas só conseguiu alcançar um terceiro lugar no GP dos Estados Unidos. O piloto britânico, além de se comprometer com uma estratégia que não funcionou, viu a Mercedes sem o desempenho brilhante de semanas anteriores. Surge, então, uma nova missão para Lewis: entender o que houve de errado de uma semana para outra.
 
Hamilton aponta mais de um possível motivo para o desempenho pouco brilhante em Austin. A necessidade de trocar bombas de água de última hora, o desgaste acentuado de pneus e problemas com o assoalho são algumas das hipóteses levantadas pelo líder do campeonato.
 
“Você vê o carro em um milhão de pedacinhos durante a manhã e isso não é ideal para a corrida”, disse Hamilton. “Provavelmente nossa corrida seria um pouco diferente se nossa manhã não fosse assim. Acho que eles [Ferrari] ganharam um pouco de ritmo e nós perdemos. Já pedi para a gente tentar entender o motivo, mas parece que são mais motivos do que os que a gente já vinha conversando”, lamentou.
Lewis Hamilton teve um domingo difícil no Texas (Foto: Beto Issa)

“Durante a corrida, por exemplo, tivemos detritos e alguns danos no assoalho, e tudo isso vai se acumulando. Perdemos alguns décimos por danos no assoalho. Talvez os outros também tenham passado por isso. Também tivemos um outro problema que ainda não sabemos muito bem qual é”, seguiu.

 
Hamilton precisou fazer dois pits, sendo o único do pelotão dianteiro a tomar tal estratégia. Isso permitiu que Kimi Räikkönen assumisse a liderança e partisse para a vitória enquanto Max Verstappen segurava o britânico.
 
“Foi um ponto fora da curva porque não tínhamos um ritmo ótimo e ficamos com o pior consumo de pneus, o que raramente acontece. Fomos forçados a fazer duas paradas por conta de algumas coisas que não foram ideais no carro. Não sabíamos que seria assim quando começamos a corrida. Foi um sofrimento e o carro estava difícil de pilotar”, reclamou.
 
Mesmo assim, Hamilton chegou ainda mais perto do pentacampeonato. O britânico terminou na frente de Sebastian Vettel, quarto, e está com a faca e o queijo na mão para ser campeão no GP do México. Um sétimo lugar basta para assegurar o caneco no Hermanos Rodríguez, independente do resultado de Sebastian.

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do México de F1 neste fim de semana com a repórter Evelyn Guimarães.

E o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube