Hamilton vê Malásia como “uma das corridas mais duras” da F1 e lamenta adeus: “Vai ser difícil substituir”

Em evento em Kuala Lumpur, Lewis Hamilton lamentou a saída do GP da Malásia do calendário da F1 e avaliou que será difícil substituir o circuito de Sepang. Piloto da Mercedes colocou a prova malaia como uma das “mais duras” do Mundial

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Lewis Hamilton lamentou nesta quarta-feira (27) a saída do GP da Malásia do calendário na F1. Depois de quase 20 anos, a etapa de Sepang se despede do Mundial neste fim de semana.
 
A Malásia foi o primeiro país da leva asiática que invadiu a F1 a figurar no Mundial com um traçado concebido por Hermann Tilke em 1999. Os promotores da corrida, entretanto, decidiram se afastar da F1 por conta da insatisfação com os altos custos e a competitividade da categoria.
Lewis Hamilton lamentou saída da Malásia da F1 (Foto: AFP)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Tradicionalmente marcada por chuva e calor, a prova malaia é uma das mais duras fisicamente para os pilotos. 
 
“É, definitivamente, triste pensar que esta é a nossa última corrida aqui”, disse Hamilton em um evento da Petronas em Kuala Lumpur nesta quarta-feira (27). “Eles estão tirando uma das mais duras, talvez a mais dura corrida da temporada, e vai ser difícil substituí-la”, resumiu.
 
TORO ROSSO DEMOROU DEMAIS

REBAIXAMENTO SEGUIDO DE AFASTAMENTO DE KVYAT É TUDO, MENOS INJUSTO  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube