F1

Hamilton vê Mercedes “contra o relógio” para resolver problemas, mas relativiza: “Testes são para isso”

A Mercedes trabalhou de forma pesada para entender o que causou a pane no carro durante a terça-feira. Nesta quarta-feira (27), foram 175 voltas entre Lewis Hamilton e Valtteri Bottas

Grande Prêmio, de Barcelona / Redação GP, do Rio de Janeiro
A Mercedes voltou a fazer maratona em Barcelona. Nesta quarta-feira (27), sexto dia de testes coletivos da pré-temporada da F1, foram 175 giros da Flecha Prateada: 74 com Valtteri Bottas e 101 com Lewis Hamilton. O time alemão tentou entender o que de errado causou o problema que tirou Bottas de circulação durante a tarde do dia anterior - e ao menos conseguiu evitar que se repetisse.
 
Hamilton terminou o dia com o nono tempo mais rápido e falou sobre o cuidadoso trabalho para entender o que havia acontecido. 
 
"Demos muitas voltas hoje, o que é bom, e superamos obstáculos. Tentamos ser o mais aplicado possível para entender as causas dos problemas, que é exatamente para que servem os testes", falou, apesar de não deixar claro se a questão foi identificada. 
 
"Todo mundo trabalha contra o relógio, tenho certeza que vamos conseguir. Precisamos de mais dias como hoje para identificar no que devemos trabalhar", afirmou.
Valtteri Bottas (Foto: Mercedes)
Após um dia de apenas sete giros, Bottas conseguiu andar bastante no antepenúltimo treino.
 
"Foi um dia positivo. Demos 74 voltas durante a manhã, voltadas para o trabalho de set-up, e melhoramos. Temos muitas informações para analisar o carro e melhorar o ajuste para otimizar o programa para amanhã. Aprendemos muito hoje e queremos aprender mais amanhã", finalizou.

O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Evelyn Guimarães, Vitor Fazio, Eric Calduch e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.