Hamilton vê punição justa a Vettel no Canadá, mas admite: “Provavelmente teria feito a mesma coisa”

Lewis Hamilton admitiu que teria reagido exatamente como Sebastian Vettel se tivesse escapado da pista na liderança do GP do Canadá. Ainda assim, o #44 apoiou a punição de 5s que lhe rendeu a vitória em Montreal

Lewis Hamilton acredita que a punição de 5s aplicada pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) a Sebastian Vettel no GP do Canadá foi justa. Mas, mesmo assim, reconhece que teria agido exatamente como o #5 se tivesse escapado da pista na liderança da corrida em Montreal.
 
Depois de conquistar em Montreal sua primeira pole-position na temporada 2019, Vettel fez uma boa largada no domingo (9) e liderou a corrida praticamente toda, mas, na 48ª volta, quando vinha pressionado por Hamilton, escapou da pista no trecho entre as voltas 3 e 4. 
 
O piloto da Ferrari voltou à pista rapidamente, mas acabou fechando Hamilton, um lance que os comissários viram como pilotagem perigosa. A FIA, então, aplicou uma punição de 5s, que foi o bastante para tirar a vitória de Vettel e entregar a Hamilton.
Lewis Hamilton admitiu que teria feito o mesmo que Sebastian Vettel (Foto: Mercedes)
Paddockast #21
A primeira vez a gente nunca esquece: as vitórias dos maiores nomes do esporte

Questionado pela revista inglesa ‘Autosport’ sobre sua avaliação da pilotagem de Vettel, Hamilton respondeu: “Eu assisti o replay. É, obviamente, muito próximo”.
 
“O que posso dizer é que, se eu estivesse na liderança, cometesse um erro e escapasse, provavelmente teria feito a mesma coisa”, reconheceu. “Acontece muito rápido, e você só está tentando manter a posição. E quando digo que faria o mesmo, eu também o teria espremido”, seguiu.
 
“No fim, foi isso que aconteceu. Então a minha opinião a respeito não mudou”, frisou. “Em relação às regras, digamos que não tivesse essa regra, eu teria seguido e nós teríamos batido. De um jeito ou de outro, terminaria mal”, ponderou.
 
Ainda, Hamilton defendeu a posição que manifestou ainda pelo rádio, quando disse ao engenheiro da Mercedes que Vettel tinha voltado à pista de maneira perigosa.
 
“Eu diria que, normalmente, seu primeiro instinto é o certo”, avaliou. “Quando vi o replay e olhei os meus dados, eu tive de frear na saída da curva 4. Havia um perigo lá e, se eu não tivesse feito aquilo, nós teríamos batido. Não sinto nada diferente em relação a isso”, continuou.
 
“A questão é que, do ponto de vista do piloto, você sabe como é. É diferente quando você assiste como um espectador, mas, como piloto, as coisas dão errado e é como ‘atira!’ ― você tenta espremer para não perder a posição”, indicou. “É um instinto natural que você tem. Não é como se você fosse pensar: ‘Vou puxar para a esquerda e deixá-los passar’. Ele me bloqueou, mas, infelizmente, ele saiu da pista e, do jeito que as regras estão escritas, é assim que é prescrito”, defendeu.
 
Por fim, Lewis reconheceu que, apesar do revés, Vettel fez um ótimo trabalho em Montreal. A vitória no GP do Canadá seria a primeira da Ferrari na temporada 2019.
 
“Exceto pela pequena escapada, ele fez um ótimo trabalho. A Ferrari foi muito forte neste fim de semana. Uma corrida realmente formidável”, elogiou. “Acho que fomos muito, muito sortudos por estarmos na briga com eles, porque eles poderiam, genuinamente, ter conseguido uma dobradinha se tivessem a primeira fila, por exemplo, mas, felizmente, pude impedir isso”, comentou.
 
“Honestamente, no início do primeiro stint, eu estava pensando: ‘Céus, eles são realmente rápidos. Estou com dificuldade para acompanhar’”, contou. “Mas aí eu consegui mantê-lo dentro da distância e aí chegar um pouco mais perto no fim do primeiro stint. Aí ele parou, eu continuei, o que, olhando para trás, nós provavelmente não deveríamos ter feito. Aí, no segundo stint, de repente, eu tinha um bom ritmo e aí pensei: ‘Ok, ainda estou na briga’”, encerrou.

#GALERIA(9802)
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube