Hamilton vibra com 50ª pole e “voltas sensuais”, mas detona novo formato de classificação da F1

Na Austrália, Lewis Hamilton alcançou a sua 50ª pole-position como piloto de F1. Uma conquista comemorada com um sabor um tanto sem graça. Culpa de um formato de classificação que, ao menos no Q3, não agradou a ninguém

A sequência de cinco poles lograda por Nico Rosberg nas últimas provas da temporada passada da F1 se encerrou na tarde deste sábado (19) em Melbourne, palco do GP da Austrália de F1. Lewis Hamilton começou com tudo sua caçada rumo ao tetracampeonato mundial com um fim de semana até aqui perfeito no circuito de Albert Park. Depois de liderar todos os três treinos livres, o britânico cravou 1min23s837 e garantiu, pela 50ª vez, o direito de largar na pole-position no Mundial, na prova que abre a temporada 2016.
 
Contudo, apesar da conquista que representa um início muito positivo para a Mercedes, que enfiou mais de 0s8 para a Ferrari de Sebastian Vettel e não tomou conhecimento do rival Nico Rosberg, Hamilton não estava completamente feliz. Tudo por conta do novo formato de classificação adotado pela F1 a partir deste fim de semana na Austrália.
Lewis Hamilton não deixou pedra sobre pedra na tarde deste sábado e garantiu a pole em Melbourne (Foto: Getty Images)
As duas primeiras fases da classificação, Q1 e Q2, foram bem empolgantes, mas a fase final completamente chata e sem sal foi duramente criticada por fãs, pilotos e também dirigentes. Hamilton também não gostou do que viu e viveu neste sábado.
 
“Dissemos lá no começo que não era o caminho certo, não poderíamos julgá-lo antes de a gente testá-lo, mas os engenheiros estavam corretos”, disparou o piloto de 31 anos em entrevista coletiva pouco depois de lograr a pole.
 
Ao falar sobre seu desempenho na pista, o tricampeão se mostrou muito satisfeito com o desempenho do novo Mercedes W07 Hybrid. 
 
“Diria que foram voltas sensuais. Me senti como o James Brown no final. Curti muito guiar o carro hoje. O acerto estava perfeito e me senti muito bem. Não cometi erros e me sinto muito feliz”, vibrou o piloto, que comentou sobre sua 50ª pole. “Eu sei, demorou um pouco. Foi de arrepiar. Não estou brincando, acelerei muito hoje, então foi um trabalho fantástico por parte da equipe, estou muito feliz com o carro.”

“Eu vi que o pessoal não estava completando suas voltas, mas fiz cada volta. Você tem de sair e garantir que não vai cometer erros, e aí você aproveita cada volta que você abre. Se você não puder avançar ou se você perder o momento, então vai ser difícil bater aquela volta com a próxima. Então é não parar de querer fazer sempre mais, elevar os limites, e isso para mim foi bem empolgante”, complementou.

 
Assim, Hamilton é o terceiro piloto da história a alcançar pelo menos 50 poles no Mundial de F1. Além de Lewis, apenas Michael Schumacher, com 68 poles, e Ayrton Senna, com 65, integram o seletíssimo grupo dos pilotos com mais vezes largando da posição de honra do grid do Mundial.
VEJA A EDIÇÃO #20 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA F1, MOTOGP, INDY E F-E

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube