Alemanha, Rússia em dobro e até Indianápolis: como F1 planeja resto do calendário

Categoria planeja mais duas corridas na Europa por conta dos iminentes cancelamentos de provas asiáticas. Etapas americanas também correm risco

Após confirmar as primeiras oito corridas da temporada 2020, a Fórmula 1 segue estudando e negociando opções para completar o restante do calendário. Segundo informação da revista alemã ‘Auto Motor und Sport’, a categoria planeja outras duas corridas na Europa antes de partir para outros continentes.

Com nenhuma etapa confirmada após o GP da Itália, em Monza, marcado para 6 de setembro, a F1 analisa provas em Hockenheim, Mugello e Ímola. A chance da pista alemã receber uma corrida é maior, já que o país não estava no calendário original da temporada. Os outros circuitos italianos correm por fora.

Sóchi, na Rússia, é candidata a receber uma rodada dupla. A corrida, originalmente marcada para o dia 27 de setembro, saiu na frente pela chance de uma nova edição por conta dos iminentes cancelamentos das provas do Azerbaijão, Singapura, Vietnã e Japão. 

Sóchi recebe a F1 desde 2014 (Foto: F1)

“No momento, estamos trabalhando em diversas opções com os colegas da F1 para o GP da Rússia. Se possível, não descartamos a chance de duas corridas. Sóchi tem uma infraestrutura moderna que nossos parceiros apreciam. Em termos de organização, a Rosgonki está preparado para receber eventos em fins de semana consecutivos”, declarou a empresa que organiza a corrida russa ao site ‘Motorsport.com’.

Baku e Marina Bay são provas de rua e não estão dispostas a promover o evento sem público, enquanto Suzuka corre o forte risco de ausência pelos planos do governo japonês de evitar viajantes de Europa e Estados Unidos até março. Hanói, que estrearia na F1, não tem intenção de receber corridas em espaço tão curto de tempo, já que a prova da temporada 2021 é prevista para acontecer em abril.

Paddockast #63 | COMO JORDAN, QUEM MERECE DOCUMENTÁRIO SOBRE O ADEUS?
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

A fase americana da F1 também está indefinida. Tanto México quanto Brasil planejam manter as datas originais, mas o crescimento de casos de coronavírus nos países pode frustrar os planos, especialmente nas metrópoles São Paulo e Cidade do México.

Apesar das provas sem público na Nascar e o início da Indy no próximo sábado (6), os Estados Unidos podem mudar de pista. O Circuito das Américas, em Austin, vive problemas financeiros e não recebeu eventos recentemente. Uma alternativa que surge é o misto de Indianápolis, que estaria disponível em novembro após todos os compromissos da Indycar.

O fim da temporada é planejado para o Oriente Médio, conforme os planos divulgados pela categoria nas últimas semanas. Sakhir, no Bahrein, também deve receber uma rodada dupla antes da corrida de encerramento em Abu Dhabi.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube