Button revela dificuldades para lidar com saída da F1: “Eu me perguntei o que faria”

Campeão em 2009, Jenson Button revelou que teve dificuldades de encontrar novas motivações após abandonar a Fórmula 1 ao fim da temporada 2016

Pedro Henrique Marum refletiu sobre o 2021 de Daniel Ricciardo no GP às 10

Aposentado da Fórmula 1 desde 2016, Jenson Button, campeão de 2009, revelou que sentiu dificuldades para se adaptar a vida longe da categoria e que após disputar temporadas da Super GT, no Japão, onde foi campeão em 2018, sentiu que faltava algo para motivá-lo.

Após a aposentadoria, o britânico chegou a voltar para a Fórmula 1 no GP de Mônaco de 2017, onde substituiu Fernando Alonso na McLaren, já que o espanhol participou das 500 Milhas de Indianápolis. O britânico revelou como foi o processo para se adaptar à nova vida e não negou que sofreu ao ficar longe da F1.

“Quando parei de correr na Fórmula 1, corri no Japão alguns anos, o que foi ótimo. Quando parei de correr lá, durante seis meses foi muito bom, relaxante, também estávamos tendo filhos. Mas meio que tive dificuldades com isso. Me perguntei ‘O que farei agora?’ Precisava de algo que me desse aquela adrenalina, aquela empolgação para construir algo concreto, então sofri”, disse Button em entrevista ao podcast High Performance.


“Trabalhava com os patrocinadores, o que era ótimo, além do trabalho com a Sky Sports, mas não tinha aquela coisa para me dar frio na barriga, algo que mudasse tudo isso”, afirmou.

Com vontade de reencontrar os carros, o britânico encontrou uma nova paixão: a produção de modelos pré-fabricados customizados, que rendeu a Button um novo negócio ao lado de amigos. Em sua visão, a nova empreitada o impulsionou de motivação.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

JENSON BUTTON; EXTREME E;
Nova equipe de Jenson Button na Extreme E tem carro com layout inspirado na Brawn do título de 2009 na F1 (Foto: Jenson Button/Twitter)

“Conversei com um grande amigo e com Ant Anstead e Mark Stubbs, um designer de carros, e veio a ideia de assumir a Radford. É isso que venho fazendo no último ano, trabalhando com esses caras, na TV, mas também ajudando a desenvolver estes belos carros pré-fabricados”, comentou.

“Basicamente sou o piloto no negócio, o piloto de testes. Então crio coisas que gostaria de dirigir no dia a dia. Penso que se conseguir fazer isso, se desenvolver algo que funcione para mim, penso que irá servir para todos”, seguiu Button.

“Esse era meu ponto forte no automobilismo, desenvolver carros que funcionavam para mim. Estou amando isso. É um projeto muito divertido, estamos trabalhando em uma Lotus como primeiro carro. Tem sido fantástico trabalhar com os engenheiros e utilizar o chassi deles para desenvolver o corpo e o interior do nosso carro ‘coach-built’. é incrível. Vamos anunciar nosso primeiro carro no fim do ano, será divertido”.

Por fim, Button comentou a respeito da Extreme E, categoria elétrica de rali, onde corre e possui uma equipe, a JBXE. E uma outra paixão que mantém, a construção de bicicletas personalizadas.

“Além disso, tem muita coisa acontecendo. Trabalhar com a Lotus, além de trabalhar com marcas de bicicletas para construirmos bicicletas juntos. Além da Extreme E com a engenharia da Lotus, aprendendo bastante sobre veículos elétricos e como podemos desenvolver isso no futuro. A Extreme E vai muito bem, melhor ainda quando não estou correndo”, brincou o campeão mundial de 2009.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar