F1

Kvyat manda 'torpedo' e coloca Toro Rosso na frente em Barcelona. Williams faz primeiras voltas com FW42

Quem é que segura Daniil Kvyat? O russo da Toro Rosso quebrou o domínio inicial da Ferrari e liderou o terceiro dia de testes coletivos da F1 em Barcelona. Kimi Räikkönen, de Alfa Romeo, veio logo atrás
Grande Prêmio, de Barcelona / FERNANDO SILVA, de Sumaré / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
Se os dois primeiros dias de testes coletivos de pré-temporada tiveram um domínio claro da Ferrari, esta quarta-feira (20) teve a Toro Rosso de Daniil Kvyat voltando a impressionar. Com menos de 15 minutos para o fim da sessão, o russo apareceu com o torpedo: 1min17s704 de pneus C5. Mais rápido. 
 
A Alfa Romeo passou grande parte do dia na ponta da tabela de classificação. Kimi Räikkönen, que está todo feliz no começo pela nova equipe, cravou 1min17s762 ainda na parte da manhã e apenas manteve a dianteira na sessão vespertina até que Kvyat aparecesse.
 
Daniel Ricciardo foi outro que apareceu nos minutos finais com apetite de lançar um torpedo dele mesmo. Conseguiu levar a Renault para a terceira colocação, com um pouco de vantagem para Sebastian Vettel, que manteve o tempo da manhã. 
 
Quem marcou presença no dia, enfim, foi a Williams. George Russell anotou uma volta de instalação no fim da manhã e veio para a pista durante a tarde. Acabou dando pouco mais de duas dezenas de voltas, mas ficou extremamente longe do penúltimo colocado, Lewis Hamilton, com uma Mercedes que ignorou a tabela. Russell terminou quase 8s atrás de Kvyat.

O dia terminou numa quebra de Grosjean, que deu 69 voltas durante a tarde. A questão com a Haas parece ser de confiabilidade: foram três quebras apenas nesta quinta-feira, quando também andou Pietro Fittipaldi

O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Evelyn Guimarães, Vitor Fazio,  Eric Calduch e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.
Daniil Kvyat (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Saiba como foi a tarde do terceiro dia de testes coletivos em Barcelona

A sessão da tarde começou com algumas mudanças na lista dos pilotos em Barcelona. Daniel Ricciardo, por exemplo, assumiu o volante da Renault no lugar de Nico Hülkenberg, enquanto Lewis Hamilton seguiu adiante com os trabalhos da Mercedes ao substituir Valtteri Bottas. E Romain Grosjean voltou ao cockpit do Haas VF-19 no lugar de Pietro Fittipaldi, um dos destaques da manhã.
 
E foi justamente Grosjean o piloto que causou a primeira bandeira vermelha depois do almoço, o que já havia acontecido no primeiro dia de trabalho da Haas em Barcelona, indicando algumas dificuldades com o VF-19 em termos de confiabilidade. Foi uma paralisação até que bastante breve, com a bandeira verde voltando a ser tremulada em questão de minutos.
 
Aí, pouco depois, aconteceu o momento mais aguardado dos últimos dias de testes. Depois de dois dias e meio de atraso, finalmente a Williams conseguiu colocar seu novo FW42 na pista. Na esteira de um verdadeiro calvário com um carro que só chegou nesta madrugada a Barcelona, a tradicional equipe britânica completou as primeiras voltas com o modelo.
George Russell (Foto: Williams)
Coube a George Russell a chance de pilotar o FW42 pela primeira vez. O feito, acompanhado por um batalhão de fotógrafos, foi aplaudido na sala de imprensa do Circuito da Catalunha.

Levou um bom tempo para Russell completar voltas nesta tarde. O foco maior da Williams, claro, era checar o funcionamento do carro antes de fazer qualquer avaliação em termos de performance. Da mesma forma, Hamilton e Ricciardo estavam focados mais em obter quilometragem, de modo que os tempos de volta eram um tanto irrelevantes naquele momento.
 
Já a Red Bull tratava de acelerar. Max Verstappen seguiu ao volante do novo RB15 à tarde e marcou o melhor tempo do carro até então nos testes desta semana: 1min18s787, calçando pneus C3, ficando atrás somente de Räikkönen e Vettel. Hamilton tratou de dar sequência ao cronograma da Mercedes e buscou cumprir uma simulação de corrida, com um long-run de mais de 30 voltas, virando constantemente na casa de 1min23s

Com pouco mais de duas horas de sessão da tarde, Russell foi à pista para finalmente fazer a primeira volta cronometrada com o novo carro da Williams. Quase em ritmo de shakedown, o britânico acelerava o FW42 com velocidade cerca de 80 km/h mais lenta que os demais na pista. A Red Bull, por exemplo, passou com maior velocidade final do primeiro dia com 320 km/h. Quando Russell enfim conseguiu uma volta rápida, entrou na tabela com um assustador 1min56s073. Em seguida, 1min49s830 de pneus macios. E retorno aos boxes. Realmente assustador. 

Ainda com menos de duas dezenas de voltas dadas, Romain Grosjean conseguiu superar o tempo anotado pelo reserva da Haas, Fittipaldi, que saíra pela manhã após uma curta ida surpresa à pista na terça-feira. 
 
Russell voltou alguns minutos depois e continuou melhorando a volta, mas ainda extremamente longe do resto do pelotão. Enquanto o FW42 se arrastava no traçado, a Williams ainda cancelou a coletiva marcada com o diretor-técnico Paddy Lowe. Responsável por supervisionar o projeto, Lowe tem a continuidade em dúvida.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
Quem continuava longe das primeiras colocações era a Mercedes. Valtteri Bottas e Lewis Hamilton eram respectivamente, 11º e 12º - ou antepenúltimo e penúltimo. Mesmo tão longe, Hamilton ainda tinha vantagem de quase 4s8 para Russell na última colocação. Isso com 30 minutos para o fim. 
 
Exatamente com meia hora para a bandeira quadriculada, a Ferrari anunciou que Vettel havia completado o programa e estava encerrando a participação durante o dia. Foram, ao todo, 34 voltas e 1min18s350 como melhor volta.

A Mercedes respondeu a Ferrari com o anúncio de que não parava de desfilar pela pista. Mas não teria muito impacto no resto do dia, ao menos nos resultados. Ricciardo, sim, resolver agir com a Renault e saltou para a segunda colocação, à frente de Vettel. 
 
Com 12 minutos para o fim, uma surpresa. Kvyat mirou seu torpedo na liderança e cravou 1min17s704. Toro Rosso dona do dia. Räikkönen teve de se contentar com a segunda colocação.

F1 2019, Barcelona, testes coletivos, dia 3, final:

1 D KVYAT Toro Rosso Honda 1:17.704   137
2 K RÄIKKÖNEN Alfa Romeo Ferrari 1:17.762 +0.058 138
3 D RICCIARDO Renault 1:18.164 +0.460 80
4 S VETTEL Ferrari 1:18.350 +0.646 134
5 M VERSTAPPEN Red Bull Honda 1:18.787 +1.083 109
6 N HÜLKENBERG Renault 1:18.800 +1.096 63
7 R GROSJEAN Haas Ferrari 1:19.060 +1.356 69
8 P FITTIPALDI Haas Ferrari 1:19.249 +1.545 48
9 C SAINZ McLaren Renault 1:19.354 +1.650 90
10 S PÉREZ Racing Point Mercedes 1:20.102 +2.398 67
11 V BOTTAS Mercedes 1:20.693 +2.989 88
12 L HAMILTON Mercedes 1:20.818 +3.114 94
13 G RUSSELL Williams Mercedes 1:25.625 +7.921 23