Norris vê Ferrari em vantagem por toque de Sainz no Brasil e reclama: “Ele me espremeu”

Lando Norris tracionou melhor que Carlos Sainz na largada e fazia ultrapassagem, mas toque entre os dois arruinou corrida do inglês, que caiu para o fundo do grid na primeira curva do GP de São Paulo

F1 EM SÃO PAULO: TUDO SOBRE A CORRIDA EM INTERLAGOS | Briefing

Lando Norris não teve um bom dia no GP de São Paulo e finalizou a corrida apenas na décima posição, cinco atrás do posto em que largou somando um ponto para a McLaren. O inglês até largou bem e partiu para cima de Carlos Sainz — seu ex-companheiro de equipe — para tomar o terceiro lugar, mas fechou cedo demais à frente do espanhol e furou o pneu traseiro esquerdo ainda na primeira curva. Após a prova, o britânico comentou o incidente.

“Eu não vi ainda [o contato com Sainz], então não posso comentar”, admitiu Norris em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO. “Eu preciso analisar sozinho, e aí vou saber. Eu era a pessoa no carro, mas se foi minha culpa, aquilo praticamente nos tirou da corrida. Nos recuperamos bem para fazer um ponto. Poderíamos ter tido um dia melhor hoje”, ressaltou o britânico, que ainda ocupa o quinto lugar no Mundial de Pilotos, mas vê cada vez mais a aproximação da dupla da Ferrari.

Norris precisou retornar imediatamente aos boxes e fazer a troca ainda na primeira volta, retornando à pista quase 40s atrás do 19º colocado, que àquela altura era a Alfa Romeo de Kimi Räikkönen. Lando alegou que viu apenas a possibilidade de ganhar a posição e foi em busca do terceiro posto, sem conseguir dizer o que poderia fazer de diferente para evitar que os carros se tocassem.

“Não sei o que mais eu poderia ter feito”, disse o inglês da McLaren. “Eu tive um começo muito melhor e precisei ir pela direita. Ele me espremeu, poderia ter me dado mais espaço. Estamos correndo, eu fui para ganhar a posição, era a chance de ficar à frente. Tínhamos um ritmo melhor do que eles. Eu fui pelo espaço”, afirmou Norris.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Lando Norris chegou em décimo no GP de São Paulo e somou um ponto para a McLaren (Foto: McLaren)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Eu precisava começar a virar para a esquerda por causa da curva, e a pessoa que está do lado de dentro [da pista] também sabe disso”, argumentou Norris. “Então precisam respeitar um ao outro, correto? Se eu estou do lado direito, precisarei voltar em algum momento, e obviamente isso beneficiou a eles muito mais do que nós, a longo prazo”, acredita o britânico, que quase venceu sua primeira corrida na F1 este ano, no GP da Rússia.

Com o resultado, a McLaren deixa o Brasil com apenas um ponto na bagagem, já que Daniel Ricciardo abandonou a corrida por problemas de motor. Norris acredita que poderia ter apresentado mais dificuldades para a Ferrari, que não teve problemas para assegurar quinto e sexto lugares, respectivamente com Charles Leclerc e Sainz.

“É frustrante, porque eu marquei um ponto hoje e poderia ter marcado bem mais”, opinou. “Provavelmente a Ferrari ainda estava mais rápida do que nós hoje, mas eu estaria à frente deles na largada e teriam que pelo menos lutar pela posição, eu acho. Poderíamos render uma boa batalha por todo o stint, mas não aconteceu. Acho que é por isso que estou infeliz”, encerrou Norris.

Leclerc diminuiu ainda mais a distância para Norris na tabela de classificação do campeonato, chegando a 148 — apenas três a menos do que o inglês. No Mundial de Construtores, a situação vai ficando cada vez mais irreversível para a McLaren: a Ferrari somou 19 pontos neste final de semana — dez de Leclerc pelo quinto lugar e nove de Sainz, um pelo terceiro lugar na corrida sprint e oito por chegar em sexto no GP de São Paulo — e chegou a 287.5 pontos, 31,5 tentos a mais do que o time de Woking.

Lewis Hamilton e a bandeira do Brasil (Vídeo: Reprodução/F1 TV)
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar