Leclerc reconhece falta de ritmo da Ferrari em 2020: “Nem podemos pensar em pódios”

O pódio na Áustria não fez Charles Leclerc pensar diferente: a Ferrari, no momento, nem tem como sonhar em repetir o resultado nas próximas etapas

O segundo lugar no GP da Áustria de Fórmula 1 parece ter sido um ponto fora da curva para a Ferrari. Depois de um rendimento péssimo na Estíria com acidente entre Charles Leclerc e Sebastian Vettel e abandono duplo, o discurso pessimista voltou. Nesta quinta-feira (16), antes do GP da Hungria, Leclerc já tratou de ser sincero: a realidade dos italianos não permite nem pensar em pódio.

O monegasco, que foi ao pódio na estreia depois de uma série de abandonos e entradas do safety-car, explicou que a Ferrari não tem desempenho e que, hoje, não pode nem sonhar com resultados assim.

“Nós estamos sofrendo com a performance até o momento. Não acho que a gente possa brigar por pódio por enquanto, mas vamos tentar mudar isso, estamos trabalhando o mais duro que podemos para tentar e conseguir alterar esse panorama”, disse.

A Ferrari tem andado bem atrás de Mercedes e Red Bull (Foto: Ferrari)

Leclerc, porém, tentou imaginar o copo meio cheio na Hungria: se a Ferrari de 2019 era muito rápida e não se dava bem em pistas como Hungaroring, será que a de 2020, mais lenta, vai casar com o traçado?

“Sofremos aqui na Hungria no ano passado, mas era outro carro. Temos um carro diferente em 2020, espero que as mudanças que fizemos de acerto nos ajudem, mas eu duvido que a diferença seja tão grande para as primeiras corridas. Estou esperando um cenário parecido com os das corridas no Red Bull Ring”, completou.

Leclerc vem em quarto no Mundial de Pilotos, enquanto a Ferrari amarga uma discreta quinta colocação no Mundial de Construtores com 19 pontos, menos da metade da McLaren, que tem 39.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube