Ligação para diretor e pedido por reunião: como Russell buscou vaga na Williams para 2019

George Russell viu que os espaços da F1 começaram a se abrir em meados de julho. Sem perder tempo, ligou para o diretor-técnico da Williams, Paddy Lowe, e pediu por uma reunião entre eles e a chefe-adjunta Claire Williams. Foi assim que começaram as conversas que culminaram na contratação do jovem de 20 anos

A Williams anunciou, na manhã desta sexta-feira (12), que George Russell será piloto da equipe na temporada 2019. O inglês, que se aproxima do título da F2, é pupilo da Mercedes e foi atrás da vaga em Grove. Foi ele quem entrou em contato com a Williams.

 
Após a divulgação do acordo e da apresentação pela que passou na fábrica de Grove, Russell revelou que ele se preocupou em ser proativo e ligou para o diretor-técnico Paddy Lowe, que conhecia dos tempos de Mercedes. A ligação foi feita antes do GP da Alemanha, em julho, e visava uma reunião entre os dois e a chefe-adjunta Claire Williams. 
 
"Meu primeiro contato com a Williams aconteceu duas semanas antes da corrida em Hockenheim", contou em entrevista à revista inglesa 'Autosport'. "Liguei para Paddy e falei 'quero estar na F1 no ano que vem e quero que seja na Williams. Podemos ter uma reunião com a Claire para discutirmos isso?'. Esse foi o ponto em que eu soube que as coisas estavam avançando na F1 e precisava entrar antes que perdesse a oportunidade", afirmou.
 
"Foi provavelmente o fim de semana de Hockenheim que me deu o primeiro indício ou ponto de contato com a Williams. Daí em diante, as coisas começaram a avançar", falou.
 
Apesar do suporte da Mercedes, que faz um trabalho possível para colocar seus jovens no grid, Russell deixou claro que prefere tomar a frente na busca por uma oportunidade como essa.
George Russell é apresentado aos funcionários por Claire Williams (Foto: Williams)

"Eu sempre sinto que é melhor que eu fale em vez de Toto ou alguém da Mercedes. Como conhecia Paddy dos tempos da Mercedes, tínhamos uma relação prévia, então fiquei mais confortável pegando o telefone e ligando para ele e organizando uma reunião com ele e Claire", explicou.

 
A três pontos de confirmar o título da F2, o jovem de 20 anos sabe que as seis vitórias e quatro pole-positions na temporada foram fundamentais nas negociações de três meses com a Williams. 
 
"Quando você está em um período de negociações após fins de semana ruins é difícil se vender. Agora, quando você está vindo de uma vitória, como diz o ditado, 'você é tão bom quanto sua última corrida'. Se você vence corridas em momentos-chave, isso te ajuda muito", encerrou.
 
A temporada 2018 da F1 ainda tem mais quatro etapas: Estados Unidos, México, Brasil e Abu Dhabi. A F2, por outro lado, termina com a rodada dupla de Abu Dhabi, nos dias 24 e 25 de novembro.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube