F1
12/11/2016 15:14

Massa lamenta falha do pneu dianteiro, mas promete “luta até o final” em último GP do Brasil: “Às vezes, o 13 funciona”

Felipe Massa não teve a classificação que esperava em Interlagos. Com problemas no pneu dianteiro, o brasileiro falhou na tentativa de chegar ao Q3. Por isso, vai largar para seu último GP do Brasil apenas na 13ª posição do grid
Warm Up, de Interlagos / Redação GP, de Interlagos
 Felipe Massa no começo do terceiro treino livre em São Paulo (Foto: Williams/Twitter)

Depois da boa atuação da Williams na sexta-feira, a disputa do Q3 era esperada e até natural. Mas a equipe inglesa não conseguiu colocar seus dois carros na fase decisiva da classificação deste sábado (12) em Interlagos, palco do GP do Brasil, a penúltima etapa da temporada de 2016. Felipe Massa ficou apenas com a 13ª colocação do grid, enquanto o companheiro Valtteri Bottas vai sair duas posições à frente.
 
Ao falar do último treino de classificação com a F1 na pista brasileira, Massa relatou que um problema no pneu dianteiro acabou com suas chances de entrar na parte final do treino. O piloto de 35 anos lamentou a falha.
 
“Sem dúvida, a gente não esperava ficar de fora do Q3. A minha melhor volta foi a primeira e eu me senti bem com o carro. Mas depois todas as vezes que eu saí, o pneu dianteiro não funcionou direito, faltava aderência. Foi uma pena, porque que estava bem empolgado depois da primeira saída, eu achava que a gente poderia ter entrado tranquilamente no Q3”, disse Felipe em declaração à rádio Bandeirantes.
Felipe Massa (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

“Foi uma pena, porque que estava bem empolgado depois da primeira saída, eu achava que a gente poderia ter entrado tranquilamente no Q3. Algo não funcionou da maneira correta. Até reclamei no rádio, mas não deu. Agora, vamos precisar entender o que aconteceu”, completou.
 
Para Massa, a Williams ainda tem muito que fazer até amanhã, mas garantiu que vai lutar até o fim por um bom resultado naquele que será seu último GP diante da torcida brasileira. “É claro que ficar fora do Q3 não é muito bom, mas vamos tentar fazer o melhor amanhã na corrida, é uma prova longa, porque ainda temos muito trabalho a ser feito. E acreditar até final”, concluiu.
 
Por fim, Felipe ainda brincou: “É o 13º, mas às vezes esse número pode dar certo. Pode funcionar no final”.