Verstappen ‘vence’ não-corrida: os melhores momentos do GP da Bélgica

Max Verstappen foi vencedor da não-corrida do GP da Bélgica, ocasionada por um grande temporal no circuito de Spa-Francorchamps. Assista aos melhores momentos da corrida

Assista aos melhores momentos do GP da Bélgica deste domingo (Vìdeo: GRANDE PRÊMIO com Reuters)

O GP da Bélgica deste domingo (29) teve de tudo, menos uma verdadeira corrida. Isso porque a direção de prova tentou de todas as formas esperar por uma melhora das condições climáticas no circuito de Spa-Francorchamps, críticas desde o horário previsto para o início da disputa, às 10h (de Brasília). Mas, depois de incertezas, um adiamento de mais de três horas e, enfim, relargada — que aconteceu exatamente às 13h17 (de Brasília) — atrás do safety-car, a direção de prova da FIA decidiu por fazer duas voltas, estender bandeira vermelha, encerrar a etapa e dar metade dos pontos ao top-10.

Por isso, Max Verstappen, o pole-position, venceu a 12ª etapa da temporada da F1. No entanto, a decisão da FIA dividiu opiniões. A Red Bull entendeu que “todo mundo fez o melhor para ter uma corrida”, enquanto a Mercedes, embora tenha exposto que compreende a solução dada pela organização da categoria, deixou claro que “não era necessário um reinício com o safety-car”.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

LEWIS HAMILTON; MAX VERSTAPPEN; GP DA BÉLGICA; FÓRMUA 1;
Lewis Hamilton e Max Verstappen no pódio do GP da Bélgica (Foto: Dan Mullan/Getty Images/Red Bull Content Pool)

Lewis Hamilton, terceiro colocado, foi o que mais criticou. No entendimento do heptacampeão mundial, o que aconteceu na tarde no circuito belga foi uma farsa: “Hoje foi uma farsa. Os únicos prejudicados foram os fãs que pagaram um bom dinheiro para nos ver correndo. Claro que não há nada que se possa fazer a respeito do clima, mas temos equipamentos sofisticados que nos dizem o que irá acontecer. Estava claro que o clima não nos deixaria correr hoje”, escreveu Lewis.

A boa notícia foi para George Russell, segundo colocado, no entanto. Além de conquistar seu primeiro pódio na carreira, o feito do piloto foi histórico para a Williams. Afinal, a marca obtida tirou a equipe de uma fila que durava desde o GP do Azerbaijão de 2017, quando Lance Stroll, hoje na Aston Martin, cruzou a linha de chegada em terceiro nas ruas de Baku.

Agora, com os meio pontos distribuídos, Max Verstappen se vê mais próximo do líder Lewis Hamilton no Mundial de Pilotos: o holandês subiu para 199,5 enquanto Hamilton tem 202,5, ou seja, apenas três tentos de diferença. Enquanto isso, no Mundial de Construtores, a vantagem da Mercedes sobre a Red Bull caiu para sete pontos.

O Mundial segue já para Zandvoort, palco do GP da Holanda no próximo fim de semana. O circuito fica a menos de 3 horas de distância (ou 295,3 km) de Spa-Francorchamps.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar