“Melhor decisão da carreira” faz Gutiérrez encarar ‘exercício de paciência’ ao só assistir GP do México

Há duas semanas, Esteban Gutiérrez se sentiu orgulhoso do comportamento da torcida mexicana no Autódromo Hermanos Rodriguez. Por outro lado, teve de ser paciente ao apenas observar o primeiro GP do México em 23 anos — no ano que vem, terá sua chance de correr

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O ambiente criado pelo público nas duas corridas latino-americanas do calendário é comparável, segundo o mexicano Esteban Gutiérrez, que encarou um ‘exercício de paciência’ há duas semanas na Cidade do México.

 
Reserva da Ferrari em 2015, o piloto ficou emocionado e se disse orgulhoso após o primeiro GP do México em 23 anos. No entanto, apenas pôde observar tudo de dentro da garagem italiana, sem entrar na pista para guiar. Um sacrifício que valeu a pena, afinal, em 2016, Gutiérrez terá a chance de retornar ao grid com a estreante equipe Haas.
 
“Não foi um ano fácil”, admitiu Gutiérrez ao ser questionado pelo GRANDE PRÊMIO em um evento em São Paulo nesta semana. “Tive de ser muito paciente neste sentido.”
Esteban Gutiérrez conversa com jornalistas em São Paulo (Foto: Carsten Horst/Hyset)
“Foi um grande ano em muitos aspectos, sempre de olho no meu futuro. Foi um risco bastante grande ir de piloto titular a terceiro piloto, mas esta foi a oportunidade que a Ferrari me deu para fazer parte da família, e ter assumido esse risco foi a melhor decisão da minha carreira”, argumentou.
 
“De qualquer forma, viver o GP de uma maneira diferente foi uma grande experiência, pois pude conhecer coisas que não teria conhecido se estivesse correndo”, completou, tentando olhar pelo lado positivo.
 
O que Gutiérrez gostou, mesmo, foi do comportamento da torcida.
 
“Devo dizer que a experiência como mexicano no México foi muito especial. E posso perceber que há algo similar no Brasil para os brasileiros. Sou amigo dos Felipes e eles me disseram que até eles se sentiram muito queridos, e isso me deixou orgulhoso, pois é da mesma maneira quando viemos ao Brasil e recebemos o apoio das pessoas, ainda que não sejamos brasileiros”, acrescentou.
Entre as atividades de Gutiérrez em 2015 esteve abastecer o kart do jovem Gianluca Petecof (Foto: Carsten Horst/Hyset)
“Sempre que viemos, gostamos muito do ambiente deste circuito, e, às vezes, o clima torna tudo interessante. Em geral, o GP do Brasil é um GP incrível que todos gostamos”, concluiu. Ele ainda fez questão de mencionar seu ídolo nas pistas: Ayrton Senna.
 
A largada para o GP do Brasil será dada às 14h (de Brasília) deste domingo.

O GRANDE PRÊMIO acompanha o GP do Brasil com grande cobertura 'in loco' com Flavio Gomes, Evelyn Guimarães, Fernando Silva e Rodrigo Berton. Acompanhe aqui.

PADDOCK GP COM FELIPE MASSA: ASSISTA JÁ

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube