Mercedes brinca com estratégia e dá vitória a Bottas no GP do Japão

Deu tudo errado para a Ferrari e tudo certo para a Mercedes, que se deu ao luxo até de brincar com a estratégia entre seus dois pilotos. No fim das contas, Valtteri Bottas voltou a vencer na temporada graças a uma largada perfeita em Suzuka. Sebastian Vettel lutou bravamente e se sustentou à frente de Lewis Hamilton nas voltas finais, enquanto a Mercedes festejou o sexto título do Mundial de Construtores

O 'super domingo' em Suzuka começou com muitos sorrisos na Ferrari, mas terminou mesmo com vitória e hexacampeonato do Mundial de Construtores para a Mercedes. Valtteri Bottas fez uma largada perfeita e pulou de terceiro para primeiro. A escuderia de Maranello viu Charles Leclerc acertar Max Verstappen nas primeiras curvas e acabou cometendo um erro na tática de pit-stops do pole, Sebastian Vettel. A equipe prateada aproveitou a chance, voltou a exibir ótimo ritmo de corrida e se deu ao luxo de brincar com a estratégia de Lewis Hamilton na parte final da corrida ao chamá-lo chamou para fazer seu segundo pit-stop, quando o pentacampeão era o líder. Bottas reassumiu a ponta e partiu para vencer pela terceira vez na temporada.

Nas últimas voltas, Hamilton lutou até o fim para superar Vettel. Mas o alemão resistiu bravamente mesmo com os pneus bem mais gastos e, como um leão, cruzou a linha de chegada em segundo, logo à frente do pentacampeão. Lewis teve de se contentar com o terceiro lugar, mas graças ao ponto extra somado com a volta mais rápida da corrida, o resultado final da Mercedes foi o bastante para que a Mercedes confirmasse, pela sexta vez consecutiva, a conquista do Mundial de Construtores.

Alexander Albon fez outra grande corrida e terminou com a conquista do seu melhor resultado na F1 ao finalizar a corrida na quarta colocação, na esteira de um raro abandono de Max Verstappen, ainda no começo da prova. Destaque também para a ótima jornada de Carlos Sainz, que colocou a McLaren em quinto, à frente da Ferrari de Charles Leclerc. Mas o monegasco foi punido em 15s por ter sido culpado pelo acidente que envolveu Verstappen na largada e também por ter andado por várias voltas na pista com a asa dianteira danificada. Assim, Daniel Ricciardo, que cruzou a linha de chegada em sétimo com a Renault, ganhou uma posição. Leclerc, então, caiu para P7, seguido pela Toro Rosso de Pierre Gasly.

Foi aí que aconteceu um grande erro da corrida: Sergio Pérez vinha em nono, mas perdeu o controle do seu carro na última volta após contato com Gasly, bateu e abandonou a disputa. Só que o mexicano teve sorte no azar porque a direção de prova acionou a bandeira quadriculada no painel com ainda uma volta para cumprir. Valeu, então, o registro do giro 52, que confirmou Pérez em nono e Nico Hülkenberg em décimo, fato que tirou um ponto de Lance Stroll, que seria beneficiado com o abandono do companheiro de Racing Point.

Valtteri Bottas fez grande corrida e venceu o GP do Japão deste domingo (Foto: AFP)

Saiba como foi o GP do Japão de F1

A proximidade da classificação com o horário da largada e os problemas enfrentados por Robert Kubica e Kevin Magnussen, que bateram, e Nico Hülkenberg, com falha no sistema hidráulico, levou a uma bela correria antes do início da corrida. A Williams conseguiu trocar o chassi do carro do polonês, que largou do pit-lane. A Haas efetuou a troca do câmbio, com o dinamarquês fechando a fila no grid, enquanto Hülkenberg partiu em 15º com a Renault, logo à frente de Daniel Ricciardo.

A largada foi espetacular para Valtteri Bottas, que tracionou melhor e deixou as duas Ferrari para trás. Péssima partida de Sebastian Vettel, mas Charles Leclerc foi ainda pior ao dividir o trecho de esses com Max Verstappen. O holandês levou azar no contato com o carro do holandês e rodou, despencando para o fim do pelotão. O jovem do carro #16 ficou com a asa dianteira avariada e ainda tentava seguir na pista enquanto Lewis Hamilton vinha atrás, em quarto. Alexander Albon perdeu posições e foi superado pelas McLaren de Carlos Sainz e Lando Norris.

Charles Leclerc acertou Max Verstappen no início do GP do Japão (Foto: F1/Twitter)

Chamou a atenção também o belo começo de corrida de Kevin Magnussen, que pulou de 19º para 13º com apenas três voltas. Outro que começou muito bem foi Sergio Pérez, de 17º para o top-10 no começo da corrida.

Na volta 4, Leclerc teve de ir aos boxes para trocar a asa dianteira, que espalhou muitos detritos, de forma até perigosa, quando Hamilton perseguia o monegasco. Pouco depois, na mesma volta, uma 'treta' de novatos. Norris e Albon se tocaram na entrada da chicane Casio, espalhando detritos na pista. O britânico aproveitou a deixa para ir aos boxes efetuar a troca de pneus e mudar a estratégia.

Os comissários da FIA tinham decidido não investigar o incidente entre Leclerc e Verstappen, mas mudaram de ideia voltas depois. Antes de qualquer decisão, o monegasco fez bela manobra na reta dos boxes após o holandês jogar duro e ser ultrapassado. A luta valia pelo 16º lugar. Dez voltas depois do início da prova, os comissários anunciaram que Vettel também estava sob investigação. O motivo? queima de largada. Depois de brilhar horas atrás na classificação, a Ferrari via tudo dar errado em Suzuka.

Vettel acabou sendo absolvido e escapou de punição, ainda que a transmissão tenha mostrado que o alemão claramente queimou a largada. Por outro lado, Verstappen viu sua corrida se encerrar na volta 15. Albon era a grande chance de a Red Bull ir ao pódio na casa da Honda.

Max Verstappen abandona o GP do Japão (Foto: F1/Twitter)

A Ferrari chamou Vettel para fazer seu pit-stop na volta 17, só que o alemão partiu para estratégia de duas paradas ao trocar um jogo de pneus macios por outro de compostos vermelhos. A Mercedes agiu rápido e preparou a troca de Bottas no giro seguinte. O finlandês voltou com pneus médios novos. A equipe prateada desenhava uma tática diferente entre seus dois pilotos para garantir mais uma dobradinha: duas paradas para Bottas e apenas uma para Hamilton.

Com 20 de 53 voltas completadas, a FIA anunciou uma decisão estranha: só iria investigar o incidente entre Leclerc e Verstappen depois da corrida. O monegasco, assim, não tinha problemas para seguir escalando o pelotão e já aparecia em sétimo lugar, logo atrás de Ricciardo após o piloto da Renault ter sido ultrapassado pelo anglo-tailandês. Pelo incidente com Max, quase três horas depois do fim da corrida, Leclerc foi punido em 15s no tempo de prova

Hamilton sofria muito com o desgaste dos pneus, e aí a Mercedes precisou mudar a estratégia. O pentacampeão foi chamado aos boxes na volta 22 para fazer a troca dos compostos macios por um jogo novo de médios. Lewis reclamou com a equipe depois de se ver mais de 20s atrás de Bottas: "Como vocês colocaram pneus médios? Como perdemos tanto tempo?", bradou.

Quem fazia belíssima corrida e podia até sonhar com um pódio era Sainz, que vinha em quarto lugar de maneira muito sólida, tendo Albon um pouco mais atrás. Ricciardo, depois de ter largado na parte final do grid, também vinha em posição de destaque e era o sexto. Norris, ao contrário, mostrava perda de performance e era facilmente ultrapassado, perdendo sua posição no top-10 ao ser superado por Daniil Kvyat, Lance Stroll, Nico Hülkenberg e Sergio Pérez.

Vettel cumpre seu segundo pit-stop no GP do Japão (Foto: F1/Twitter)

Leclerc fez seu segundo pit-stop, com a Ferrari calçando seu carro com pneus macios na volta 26, caindo para 12º. Pouco mais à frente, Hülkenberg passava para nono ao superar Kvyat. E na briga para ficar mais perto do pódio, Albon passava Sainz e assumia o quarto lugar.

Com performance muito melhor dos pneus, Hamilton chegou com facilidade em Vettel até que o alemão foi aos boxes para mais um pit-stop, trocando os macios pelos médios. Estava formada a dobradinha da Mercedes. Leclerc, mais atrás, seguia abrindo caminho no pelotão e era o sétimo depois de passar Stroll.

Bottas fez seu segundo pit-stop, usando mais um jogo de pneus macios, e voltou à pista 9s atrás de Hamilton. Restava a dúvida se Lewis faria uma outra parada. O pentacampeão deixava claro que não se contentaria com um lugar no pódio: "Me digam o que eu preciso para vencer a corrida", pedia o piloto via rádio para a Mercedes. Bottas também se comunicava com a equipe. "Tem certeza que Lewis vai parar?". "Ele vai", ouviu como resposta.

Hamilton, mesmo tendo ótima performance e com os pneus em bom estado, parou e fez o segundo pit-stop, com a Mercedes colocando um jogo de macios para fazer as últimas 11 voltas. Assim, Bottas reassumiu a liderança, com Vettel subindo para segundo.

Bastante irritado, Hamilton acelerava para chegar e passar Vettel e retomar o segundo lugar. Com os pneus bem mais desgastados, o alemão lutou muito e se segurou até onde deu. No fim, Seb foi recompensado com sua bravura e cruzou a linha de chegada em segundo, logo à frente de Hamilton. O resultado, além do ponto extra conquistado por Lewis pela volta mais rápida, foi suficiente para que a Mercedes conquistasse o sexto título consecutivo do Mundial de Construtores.

Na última volta, Pérez vinha em nono lugar, acabou perdendo o controle do seu carro após contato com Gasly e bateu, abandonando a corrida. Mas o mexicano teve sorte no azar e acabou pontuando mesmo assim. É que a direção de prova sinalizou a bandeirada quadriculada virtual uma volta antes do previsto, no giro 52. Assim, a direção de prova teve de validar a corrida com um giro a menos, ajudando Pérez, que marcou dois pontos, e tirando um tento de Stroll, que havia terminado em P10 com o abandono do companheiro de equipe.

F1 2019, GP do Japão, Suzuka, final:

1 V BOTTAS Mercedes 52 voltas    
2 S VETTEL Ferrari +13.343    
3 L HAMILTON Mercedes +13.858    
4 A ALBON Red Bull Honda +59.537    
5 C SAINZ JR McLaren Renault +1:09.101    
6 C LECLERC Ferrari +1 volta    
7 P GASLY Toro Rosso Honda +1 volta    
8 S PÉREZ Racing Point Mercedes +1 volta    
9 L STROLL Racing Point Mercedes +1 volta    
10 D KVYAT Toro Rosso Honda +1 volta    
11 L NORRIS McLaren Renault +1 volta    
12 K RÄIKKÖNEN Alfa Romeo Ferrari +1 volta    
13 R GROSJEAN Haas Ferrari +1 volta    
14 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari +1 volta    
15 K MAGNUSSEN Haas Ferrari +2 voltas   NC
16 G RUSSELL Williams Mercedes +2 voltas    
17 R KUBICA Williams Mercedes +2 voltas    
18 M VERSTAPPEN Red Bull Honda +39 voltas   NC
  D RICCIARDO Renault     DSC
  N HÜLKENBERG Renault     DSC


 
Paddockast #37
GRANDES RIVALIDADES INTERNAS 

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube