Mercedes descarta luta por pole contra Ferrari e Red Bull: “Não estamos no ritmo deles”

Andrew Shovlin, diretor de engenharia de pista da Mercedes, reconheceu que Ferrari e Red Bull estão com um ritmo mais forte em volta lançada na França, mas acredita que a equipe alemã pode ter um desempenho melhor na corrida

Depois de duas corridas com progressos notáveis, a impressão que se teve após as sessões de treinos livres desta sexta-feira (22), em Paul Ricard, é que a Mercedes voltou a andar isolada como terceira força do grid. Se ainda consegue se manter à frente de McLaren e Alpine, ainda está distante de Ferrari e Red Bull, e a expectativa da própria equipe para a classificação é que o resultado se repita.

Andrew Shovlin, diretor de engenharia de pista do time alemão, falou sobre o trabalho não só da dupla titular nas sessões do dia, mas também de Nyck de Vries, que assumiu o volante no lugar de Hamilton durante o TL1 e fez o nono tempo.

Relacionadas


▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

George Russell ficou em quarto no TL2, a 0s7 de Carlos Sainz (Foto: Mercedes)

“Em primeiro lugar, Nyck fez um ótimo trabalho pela manhã. Considerando o pouco tempo que teve no carro, foi impressionante o quão rápido e consistente ele foi”, elogiou Shovlin. “Usamos a sessão para testar uma variação da especificação do carro a cada stint e obtivemos algum aprendizado a partir disso”, acrescentou.

“George avaliou algumas atualizações durante a primeira sessão e não esteve particularmente feliz com o equilíbrio do carro, mas conseguiu deixá-lo mais próximo do seu gosto à tarde”, continuou o britânico. Sobre Hamilton, ele disse em seguida que o heptacampeão não ficou muito satisfeito com o carro, mas a equipe tem ideia da direção que precisa seguir na configuração.

Shovlin também explicou que a Mercedes não fez muita simulação de corrida, então não é possível saber qual é o ritmo real para o domingo, mas a equipe acredita que está mais perto das ponteiras do que do meio do pelotão. “Não sabemos realmente como estamos comparados a Red Bull e Ferrari, mas pelo menos vemos eles mais próximos do que o resto do grid.”

“Não esperamos estar no ritmo deles amanhã”, reconheceu. “Ambas parecem muito fortes em volta rápida, especialmente a Ferrari, mas espero que possamos chegar um pouco mais perto na corrida de domingo”, concluiu Shovlin.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.