Mercedes exibe força na chuva, mas Red Bull toma favoritismo com pista seca no Japão

A chuva que desabou em Suzuka nesta sexta-feira ajudou a colocar a Mercedes à frente na tabela de tempos, mas isso pouco representa para o restante do fim de semana. Com a previsão de pista seca neste sábado, a Red Bull tende a figurar na ponta do grid do GP do Japão

O retorno da Fórmula 1 a Suzuka foi marcado pela intempérie. Mas a chuva que desabou durante os primeiros treinos livres desta sexta-feira (7) mostrou uma face nova da Mercedes. Em um circuito longo e desafiador, o piso molhado se tornou um palco pródigo para esse enigmático W13. Apesar de certo desequilíbrio, George Russell e Lewis Hamilton foram capazes de mascarar os problemas crônicos do carro prata e encontraram um solo fértil nos mais de 5 km do traçado nipônico, o que proporcionou a liderança na sessão complementar do dia. Só que, no asfalto seco, a esquadra alemã dificilmente será capaz de reproduzir tal performance, justamente por causa da natureza da pista japonesa com suas curvas de alta velocidade. Assim, o resultado de hoje pouco representa para o sábado.

Isso porque a classificação do GP do Japão deve mesmo acontecer sem chuva – a previsão fala em temperaturas na casa dos 20ºC e sol. Nestas condições, a tendência é que a Mercedes encontre mais obstáculos, pois ainda falta ao W13 velocidade de reta e melhor equilíbrio em curva, além da aderência. Outra questão enfrentada ainda é a temperatura de pneus – encontrar a marca ideal também tem sido desafio.

Relacionadas


▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

“Provavelmente, não será tão representativo para este fim de semana, mas com certeza é uma boa lição para o futuro. Há uma chance de chuva no domingo, mas amanhã parece que teremos pista seca. No entanto, é sempre bom terminar o dia no topo da tabela de tempos”, afirmou Russell, que obteve o melhor tempo do dia em 1min41s935 – apenas 0s235 mais rápido que Hamilton.

Em seguida, o inglês admitiu desconhecer o desempenho em pista seca. “Honestamente, não tenho ideia, porque achamos que amanhã será seco, então teremos de esperar. O TL3 será uma sessão crucial para todos”, completou.

A Mercedes fez um trabalho muito focado nos pneus intermediários e usou mais jogos que suas adversárias. A ideia também é ter um ajuste para um eventual piso molhado no domingo – sem esquecer o acerto mais convencional, aquele em que precisa driblar os quiques e achar downforce. Ainda assim, há um caminho a percorrer, de acordo com Hamilton. “Hoje foi um dia chato. Cinzento e molhado, mas pelo resto do fim de semana acho que vai estar seco”, disse o heptacampeão.

“Sempre há coisas que podem ser obtidas a partir desses dados, por exemplo, algumas coisas sobre a configuração, desgaste dos pneus, temperatura. O bom é que conseguimos fazer com que nossos pneus funcionassem, então não fomos lentos”, afirmou Lewis, que vê com mais cautela a performance em condições normais.

“Não tenho ideia. Se estiver seco, imagino que a Ferrari e a Red Bull serão muito rápidas.”

LEIA TAMBÉM
+Evolução da F1: Russell de intermediários quase iguala pole de Senna em 1988 no Japão
+Na Garagem: Hamilton erra na entrada dos boxes na China e se complica por título

George Russell foi o mais rápido no segundo treino livre do GP do Japão (Foto: Philip Fong/AFP)

E aí que mora a convicção de Max Verstappen. O holandês, que está muito perto de conquistar o bicampeonato na F1, terminou o dia logo atrás dos carros alemães e não demonstrou grande preocupação. A verdade é que os taurinos usaram menos os intermediários e procuram dados para um acerto que permita um compromisso entre as condições adversas da sexta-feira e também do asfalto seco. Isso só é possível por conta desse RB18 mais fácil de lidar, uma vez que não encontra problemas para gerar downforce, muito pelo contrário, além da estrondosa velocidade final.

“Dia complicado, essa pista é dura nos pneus e nós só usamos um jogo de intermediários nesse TL2. Acho que a Mercedes usou três. Temos muitas informações para o pessoal avaliar. No geral, nosso dia foi bastante razoável. É preciso encontrar um meio termo para essas informações, porque parece que amanhã estará seco e no domingo, molhado. O carro está com bastante downforce e temos de ajustar um formato para ambas as condições climáticas”, disse um confiante chefe da Red Bull, Christian Horner.

“As coisas vão ficar interessantes, definitivamente há uma grande vantagem de estar de pneus novos no primeiro setor da pista. Os tempos de hoje não são muito representativos, mas a Mercedes está na briga. Estão competitivos. A Ferrari ficou fora de posição hoje, mas eu acho que está tudo muito perto”, continuou.

Portanto, a Red Bull e Verstappen devem assumir o posto de favoritos em classificação com pista seca. “Amanhã, tudo começa do zero”, disse Max. E tem razão.

GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e EM TEMPO REAL todas as atividades do GP do Japão de Fórmula 1. No sábado, o TL3 começa à 0h [de Brasília, GMT-3], enquanto a classificação inicia às 3h.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.