Mercedes vê Hamilton “ótimo” no Catar e diz que Red Bull “acordou o leão” no Brasil

Toto Wolff, chefe da Mercedes, vibrou com a vitória, mas admitiu que o sabor ficou um pouco amargo com o ponto extra da melhor volta por Max Verstappen

F1 NO CATAR: HAMILTON VENCE, VERSTAPPEN 2°, ALONSO NO PÓDIO | Briefing

A Mercedes voltou a vencer na temporada 2021 da Fórmula 1. Após o GP de São Paulo em Interlagos, quando Lewis Hamilton mostrou ritmo espantoso para o que vinha acontecendo no campeonato, algo que se repetiu neste domingo (21), em Losail. Lewis Hamilton ganhou, mas Max Verstappen ficou em segundo e emplacou a volta mais rápida e o ponto extra no Catar. O sentimento ficou amargo.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

De acordo com o chefão da Mercedes, a desclassificação do sábado no Brasil fez com que a equipe acordasse de vez para a fase final do campeonato. O maior lamento no Catar foi o furo do pneu de Valtteri Bottas, que tirou do finlandês as chances reais de completar o pódio.

“É engraçado, porque o sentimento inicial é amargo. Os dois campeonatos são importantes para Lewis, e ele foi ótimo. O ponto [da volta mais rápida, que ficou para Verstappen] foi meio irritante, mas é ótimo que tenhamos vencido a corrida. A boa notícia é que o carro está bem rápido e num bom momento”, disse.

“Lewis controlou a corrida lá na frente e foi um bom indicativo para Arábia Saudita e Abu Dhabi. O furo de pneu de Valtteri veio do nada. Tentamos reconstruir na sequência, sabendo o momento em que e olhando para os dados. Não havia indicação que aconteceria, antes disso. Era uma pequena vibração”, seguiu.

Lewis Hamilton, Max Verstappen e Fernando Alonso (Foto: Lars Baron/Getty Images)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“A pista da Arábia Saudita deve ser boa para a gente, mas sabemos que as coisas estão mudando de lado muito rapidamente neste ano. Tem uma reta longa, e teremos que pegar nosso equipamento apimentado: o motor que não usamos aqui. Valtteri estará lá na frente também. Se todo mundo terminar a corrida, vamos todos para Abu Dhabi [na briga]. O carro está veloz nas retas e bom nas curvas, o desgaste de pneus está bom e ainda temos duas corridas que serão à noite”, avaliou.

“Eles acordaram o leão naquele sábado em São Paulo. Estávamos conversando na ida para o pódio [Wolff e Hamilton], e, se você tivesse dito naquele dia que o campeonato iria aberto para Arábia Saudita ou Abu Dhabi, teríamos aceitado. Estávamos no contrapé no começo do campeonato, as regras não jogaram muito a nosso favor. Você precisa aceitar o golpe. Quem vencer o campeonato, merece”, finalizou.

A Fórmula 1 volta a acelerar entre os dias 3 e 5 de dezembro, com a penúltima etapa do ano. Mais uma vez, a categoria vai hospedar uma corrida pela primeira vez em sua história, no GP da Arábia Saudita, a ser disputado no Circuito de Jedá.

Paddockast #130: As maiores atuações da carreira de Hamilton na F1
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar