Mesmo ‘sem chances de ganhar’, chefe da Renault diz que vale investir alto salário em Ricciardo

Daniel Ricciardo recebeu considerável aumento para deixar a Red Bull e ir para a Renault. E, para os franceses, esse dinheiro investido vale a pena, mesmo que o título ainda seja impossível

O salário de Daniel Ricciardo na Renault não foi oficialmente divulgado, mas se sabe que é alto – ainda mais para os padrões de uma equipe que, no momento, sabe que o título é quase impossível, já que Red Bull, Ferrari e Mercedes seguem inalcançáveis. 

Mesmo assim, os franceses acreditam que o investimento é válido. Segundo Cyril Abiteboul, chefe da Renault, a equipe chegou em um momento em que pode investir tanto no carro, como em pilotos.

"Há, sim, um grande investimento. Mas a questão não é se podemos bancar isso. Nós podemos. Não há dúvidas sobre isso. O ponto é o valor. Faz sentido investir esse dinheiro em um piloto do nível de Daniel nesse ponto de nossa jornada, com o carro que temos e com os outros gastos que devemos ter? Nós acreditamos que sim", disse ao 'Motorsport'.

Cyril Abiteboul (Foto: Bernard Asset/DPPI)

O salário não foi revelado, mas estima-se que o australiano receberá cerca de R$ 74 milhões ao ano, em contrato válido por duas temporadas.

Outro ponto citado por Abiteboul é o comercial – já que a equipe, na pista, sabe que 'não tem chance de ganhar' no momento, mas pode se aproximar do trio, ao menos.

"O acordo comercial com Daniel é extremamente sensível e não existe em outro lugar na F1. É medido também por seu nível de talento e habilidade, e pelo que ele pode trazer à equipe. Não é uma quantidade estúpida de dinheiro. Acho que fizemos da maneira mais sensível possível, não fará mal à equipe e podemos continuar a desenvolver nosso carro e motor", finalizou.

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube