Na Garagem: ‘Rei da Coreia’, Vettel arranca para tri com vitória em Yeongam

Em 14 de outubro de 2012, Sebastian Vettel conquistou uma vitória importantíssima que o colocou em vantagem na briga contra Fernando Alonso para ver quem seria o novo tricampeão da F1. Então na Red Bull, Seb fez grande corrida no circuito de Yeongam e venceu pela terceira vez seguida na temporada. Sua 25ª vitória na F1 o fez superar na estatística ninguém menos que o mito Juan Manuel Fangio

O ano de 2012 viu uma competitividade incomum no início da temporada: sete vencedores diferentes nas sete primeiras provas. Jenson Button e Lewis Hamilton pela McLaren, Sebastian Vettel e Mark Webber pela Red Bull; Nico Rosberg pela Mercedes; Fernando Alonso pela Ferrari e Pastor Maldonado pela Williams — quebrando um jejum de quase oito anos sem vitória da equipe de sir Frank Williams.

Com toda essa disputa, o começo do certame de 2012 viu uma disputa entre os dois pilotos da McLaren, as duas Red Bull e Alonso pelas primeiras posições da tabela. Além dos sete vencedores diferentes, 2012 também é o ano com mais campeões disputando o campeonato: foram seis – Michael Schumacher (7), Sebastian Vettel e Fernando Alonso (2), Jenson Button, Kimi Räikkönen e Lewis Hamilton (1), somando 14 títulos na pista.

Com três triunfos seguidos àquela altura do campeonato, Sebastian Vettel, o 'Rei da Coreia', seguiu forte rumo ao tri (Foto: Red Bull/Getty Images)

Vettel demorou a vencer naquela temporada, chegando ao topo do pódio apenas na quarta prova do ano, o GP do Bahrein. O alemão esteve no topo da tabela na quarta e quinta etapas, numa liderança fugaz. Entre a segunda e a 15ª etapas, Alonso só não liderou a tabela em quatro dessas corridas e, após o GP do Canadá, a sétima etapa, sustentou a liderança entre a oitava e a 15ª corrida, no Japão. No GP da Alemanha, metade da temporada, Alonso tinha 44 pontos de vantagem sobre Vettel. Tudo indicava o tri do espanhol da Ferrari.

Quando a F1 partiu para a segunda perna asiática, numa sequência de cinco corridas, as McLaren não apresentaram o mesmo rendimento, Vettel se distanciou de Button e Hamilton no campeonato e encarou uma briga ferrenha com Alonso pelas vitórias. O alemão somou quatro vitórias e um terceiro posto, levando 115 pontos, enquanto o espanhol obteve dois segundos e dois terceiros lugares nessa passagem pelo Oriente, totalizando 66 pontos e vendo dizimada a sua vantagem na tabela.

O ponto de viragem do campeonato foi o GP da Coreia, realizado em 14 de outubro daquele ano. Com o abandono de Alonso no Japão, a diferença era de apenas quatro pontos, e as cinco provas finais viraram uma espécie de minicampeonato. A prova de Yeongam foi a primeira dessas provas do tie-break nessa disputa.

A Red Bull e a Renault, hoje em processo de divórcio, já comemoraram. A pole 200 da marca foi conquistada por Webber (Foto: Red Bull/Getty Images)

Nos treinos, os pilotos andaram muito próximos, com sete deles andando no mesmo segundo do pole Mark Webber. O australiano marcou o tempo de 1min37s242. Vettel andou perto do companheiro de Red Bull e ficou menos de 0s1 atrás, com a marca de 1min37s316. Alonso fez o que podia com um carro inferior e girou em 1min37s534. Entre os dois postulantes ao posto de novo tricampeão da F1 estava Lewis Hamilton, com uma volta em 1min37s469.

Vettel nem precisou da ajuda do companheiro: Webber largou mal e o alemão assumiu a ponta logo na primeira curva. Atrás deles, uma boa largada das Ferrari: Alonso tomou o terceiro lugar de Hamilton e Felipe Massa tirou o sexto posto da Lotus de Kimi Räikkönen. Vettel rapidamente abriu vantagem, enquanto os seis primeiros guardavam posição nas 12 primeiras voltas: Vettel, Webber, Alonso, Hamilton, Massa e Räikkönen.

Lewis Hamilton fazia em Yeongam uma das suas últimas provas pela McLaren (Foto: McLaren)

Hamilton sofria com o desgaste de pneus e logo perdeu a posição para Massa. O inglês acabou fazendo três paradas por conta da degradação dos seus compostos. O brasileiro andava mais rápido que Alonso, mas como o espanhol lutava ponto a ponto com Vettel pelo título, a Ferrari pediu a Massa que não atacasse o parceiro. Vettel, por sua vez, tinha tranquilidade plena e não perdeu a liderança nem mesmo nas duas vezes quando foi aos boxes.

Mas essa calmaria terminou na 47ª das 55 voltas: alarmada pelo desgaste dos pneus de Hamilton, a Red Bull gritava no rádio para que Vettel conservasse seus compostos: um abandono do alemão permitiria a Alonso abrir 22 pontos de vantagem com apenas quatro provas para o fim do ano.

Fernando Alonso não foi páreo para Sebastian Vettel no GP da Coreia de 2012 (Foto: Ferrari)

O alemão foi prudente, tirou o pé e cruzou com apenas 6s de vantagem para seu escudeiro Webber. A bandeirada foi dada pelo rapper coreano Psy, cantor do hit “Gangnam Style”. Com a vitória na Coreia, Vettel obteve o 25º triunfo na carreira, superando Juan Manuel Fangio e igualando Niki Lauda e Jim Clark em número de vitórias na F1. A vitória permitiu a Vettel tomar a liderança do campeonato pela primeira vez desde abril.

Uma liderança que não sairia mais das mãos de Vettel. Ele venceu na Índia e foi ao pódio em Abu Dhabi e nos EUA, mantendo a diferença em confortáveis 13 pontos. No GP do Brasil, Alonso foi segundo, mas Vettel saiu de décimo para sexto nas voltas finais e assegurou o tricampeonato. Com a conquista de 2012, o alemão igualou Fangio e Schumacher como os únicos a conquistarem o título três vezes seguidas.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube