F1

Novo campeão mundial, Rosberg indica que deve abrir mão de #1 e seguir com #6: “É um número de muita sorte”

Desde quando a numeração fixa foi adotada pela F1, em 2014, apenas naquele ano o campeão exerceu direito de usar o #1, no caso, Sebastian Vettel. Para a próxima temporada, quem terá a primazia de usar o numeral mais vencedor do esporte é Nico Rosberg. Mas o alemão indica que deve continuar com o #6, que representa muita história para sua família

Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 

Nico Rosberg indica que deve continuar ostentando o #6 em seu carro na temporada 2017 do Mundial de F1. O mais novo campeão do mundo adquiriu o direito de usar o #1 no ano que vem, mas deu a entender a preferência por continuar usando o numeral que o acompanha desde que a numeração fixa foi instituída no esporte, em 2014, e que tem um grande significado familiar.
 
Foi com o #6 que Keke Rosberg, em 1982, conquistou seu único título mundial de F1. 34 anos depois, foi a vez do filho, Nico, repetir o feito do pai e se tornar campeão do mundo. E, novamente, usando o #6.
 
Em entrevista publicada pelo site oficial da Mercedes, Rosberg falou sobre o significado que o #6 tem para a sua família, indicando preferência em mantê-lo, deixando para depois a decisão sobre usar ou não o #1, algo que ainda não foi definido. 
Nico Rosberg diz que o #6 é um número de muita sorte para a família (Foto: Mercedes)
“Não tenho ideia. Eu amo o #6, claro, meu pai foi campeão do mundo com este número 6 também, então é um número de muita sorte para nós. Não sei”, disse o novo campeão da F1.
 
Desde que a numeração fixa passou a ser adotada na F1, apenas em 2014 o #1 esteve na pista, com Sebastian Vettel, campeão da temporada anterior. Mas Hamilton, depois de conquistar os títulos de 2014 e 2015, preferiu continuar com o #44 e, consequentemente, abrir mão do #1. 
 

Estatisticamente, o #1 é o numeral com mais vitórias na F1: ao todo, são 181 triunfos, contra 133 do #5, 83 do #2 e 75 do numeral #6. Como curiosidade, o #44 ostentado por Hamilton desde 2014 é o décimo na lista, com 32 vitórias, sendo 31 logradas pelo britânico.
 
No rol dos campeões do mundo, o #1 esteve presente em 15 oportunidades, novamente encabeçando a lista, contra dez vezes do #5 e seis do #6. Além de Nico Rosberg, já foram campeões com o mesmo numeral Mike Hawthorn, em 1958, Emerson Fittipaldi, em 1972, Keke Rosberg, em 1982, Nelson Piquet, em 1987, e Kimi Räikkönen, no último título do Mundial de Pilotos da Ferrari, em 2007.