F1

Novo chefe, Binotto prega “simples continuidade” e diz que “pouco mudou” na Ferrari entre 2018 e 2019

Mattia Binotto virou chefe de equipe após decisão da Ferrari de não seguir com Maurizio Arrivabene, mas talvez essa seja a única grande mudança em Maranello para 2019. É que Binotto prefere apostar na continuidade para ser campeão
Grande Prêmio, de Barcelona / VITOR FAZIO, de Barcelona
A Ferrari teve uma mudança importante entre 2018 e 2019 da Fórmula 1. Após quatro anos com a chefia de Maurizio Arrivabene, a nova temporada se inicia com Mattia Binotto como novo homem forte de Maranello. Binotto chega com a missão de alcançar o primeiro título da equipe italiana na década, mas sem apostar em reformulação geral – de acordo com o dirigente, o plano é manter a base atual da escuderia.
 
É que Binotto vê a Ferrari atual como uma equipe forte. Apostando na evolução, e não revolução, o italiano se vê capaz de triunfar com Maranello.
 
“Acho que muito pouco mudou na Ferrari. Ainda são as mesmas pessoas e a mesma equipe”, disse Binotto, questionado pelo GRANDE PRÊMIO. “Óbvio, temos um novo piloto e mudamos os engenheiros, mas todas as outras pessoas ainda estão aí. Hoje eu penso que essa é uma equipe que há anos se acostumou a trabalhar junta. Temporada após temporada nós estamos melhorando. É uma simples continuidade em comparação com o passado, então eu não diria que muita coisa mudou”, destacou.
Mattia Binotto não quer saber de revolução na Ferrari em 2019 (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
A continuidade só não vale para Binotto, que deixou de ser diretor-técnico para ser chefe de equipe. Para o novo comandante, o cargo ainda representa um desafio a ser enfrentado.
 
“Eu nunca vou me acostumar com isso [ser chefe]. Acho que é uma grande responsabilidade ser o chefe na Ferrari. Mesmo assim, acho que tenho a chance e a sorte de ter uma grande equipe. Ser o chefe de uma equipe tão boa torna as coisas mais fáceis”, encerrou.
 
A primeira pré-temporada de Binotto como chefe de equipe terminou com bons resultados para a Ferrari. A equipe, apesar de sofrer problemas mecânicos na segunda semana de atividades, anotou o melhor tempo de todos com Sebastian Vettel. Mesmo assim, Mattia acredita que a Mercedes está em clara vantagem no momento.