Pérez descarta ano sabático caso fique sem vaga na F1: “Prefiro me aposentar”

Sergio Pérez, livre no mercado, só quer assinar por uma equipe que o mantenha motivado na F1. Caso não dê, o mexicano não quer esperar sentado e diz que ano sabático é impossível

Sergio Pérez está oficialmente livre no mercado após a decisão da Racing Point de assinar com Sebastian Vettel para 2021. Mesmo cercado de incertezas, o mexicano se permite não assinar com qualquer equipe: só um projeto “que dê motivação” faz sentido, apesar de um ano sabático antes de 2022 também estar descartado.

“Acho que, quando você sai, você talvez nunca consiga voltar”, refletiu Pérez. “Se for assim, eu prefiro me aposentar a tirar um ano sabático. Acho que todas as coisas são opções agora. Meu maior objetivo ainda é seguir na F1. Ainda me sinto muito jovem e faminto. Quero seguir na F1, mas precisa ser com o carro certo, um carro que me dê motivação para dar meu melhor em cada volta”, destacou.

A questão é que, pensando em 2021, poucas equipes realmente competitivas da F1 ainda estão com vagas abertas. Haas e Alfa Romeo ainda não decidiram duplas, mas mal pontuam na temporada atual. Há ainda o rumor de um possível interesse da Red Bull nos serviços de Pérez, mas essa opção deve se esgotar caso Alexander Albon siga melhorando após o pódio inédito no GP da Toscana.

Sergio Pérez ainda precisa definir seu futuro (Foto: Racing Point)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Além de tudo isso, Pérez prefere um contrato de pelo menos dois anos, para 2021 e 2022, quando a F1 muda o regulamento drasticamente. O comentário, entretanto, vem junto da noção de que talvez seja hora de ir para outra categoria.

“Teria de ser também um projeto de longo prazo, pensando em 2022, porque eu espero que as mudanças de regulamento tenham um grande efeito. Esse é o maior motivo para querer continuar até 2022, porque eu acho que seriam muitas oportunidades. 2021 pode ser um ano difícil nesse sentido, mas nunca se sabe. Certamente tenho opções e não espero tomar uma decisão tão cedo. Vou tomar o tempo necessário. Se eu não achar nada atrativo na F1, vou pensar em outros campeonatos, outras coisas. Veremos”, encerrou.

Caso Pérez de fato deixe a F1, a alternativa óbvia é a Indy. A McLaren já até mesmo acenou com um possível interesse nos serviços do mexicano.

Pérez compete na F1 ininterruptamente desde 2011. Mesmo sem nunca pilotar um carro verdadeiramente competitivo, o mexicano acumulou oito pódios e virou grande nome no pelotão médio.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube