Perto de recorde da pista, Hamilton sobra e comanda segundo treino livre na Austrália. Massa enfrenta falha no câmbio

Lewis Hamilton começou o fim de semana de abertura da temporada 2017 da F1 do jeito que mais gosta: dominando. O tricampeão do mundo manteve a supremacia exibida pela manhã em Melbourne e ficou a menos de 0s1 do recorde da pista. Felipe Massa enfrentou problema no câmbio do carro da Williams e Jolyon Palmer bateu

#GALERIA(6966)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Se havia alguma dúvida sobre quem começa a temporada 2017 como favorito, agora já não há mais. Lewis Hamilton tratou de confirmar que a Mercedes segue sendo a força dominante da F1, ao menos nesta fase inicial de campeonato. Com um desempenho avassalador no segundo treino livre do GP da Austrália, nesta sexta-feira (24), o tricampeão do mundo foi muito superior aos rivais mais próximos e ficou perto do recorde da pista, que foi registrado por Sebastian Vettel em 2011, na Red Bull: 1min23s529. Usando pneus ultramacios, Hamilton cravou 1min23s620 e foi mais de 0s5 mais rápido que o segundo colocado. Depois de uma manhã apagada, a Ferrari mostrou performance e colocou Vettel em segundo, também com pneus ultramacios, mas muito atrás da Mercedes de Hamilton.

Ao menos, o tetracampeão conseguiu superar Valtteri Bottas, que terminou em terceiro. O finlandês, que faz sua estreia na Mercedes neste fim de semana, fechou a sexta-feira com 1min24s176 como mehor tempo, 0s009 atrás de Vettel. Kimi Räikkönen garantiu a quarta marca, mas bem mais atrás dos primeiros colocados, enquanto Daniel Ricciardo desta vez não conseguiu encostar nos ponteiros e fechou o rol dos cinco primeiros do treino, superando seu companheiro de Red Bull, Max Verstappen.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Lewis Hamilton sobrou no segundo treino livre do GP da Austrália e ficou perto do recorde da pista (Foto:AMG Mercedes F1 Team)

Depois de andar bem no primeiro treino livre e terminar em sétimo, Felipe Massa enfrentou uma falha no câmbio do seu Williams FW40 e ficou a maior parte do treino sem acelerar em Melbourne. O brasileiro acabou a sessão em 14º.

A F1 retoma os trabalhos de pista do fim de semana no circuito Albert Park neste sábado com a disputa do terceiro treino livre, com início previsto para 0h, horário de Brasília. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL com o novo livetiming.

Saiba como foi o segundo treino livre do GP da Austrália de F1

Assim como aconteceu no primeiro treino livre, Romain Grosjean foi o piloto que abriu os trabalhos da sessão desta tarde em Melbourne. O franco-suíço foi seguido pelo seu companheiro de Haas, Kevin Magnussen. A novidade foi que a equipe norte-americana retirou dos seus dois carros a Asa-T que estava acoplada à 'barbatana' depois de problemas de instabilidade com a peça pela manhã. Stoffel Vandoorne também deixava os boxes, mas Fernando Alonso tinha problemas no seu carro. A McLaren tinha de trabalhar duro para garantir o bicampeão na pista o quanto antes.

O primeiro tempo da tarde foi registrado por Grosjean, que cravou 1min26s912 com pneus supermacios. Os carros da Haas, tanto de Grosjean quanto de Magnussen, tinham dificuldades em trechos de frenagens fortes, como nas curvas 1 e 3. Vandoorne seguia na pista com pneus macios, enquanto o treino ganhava a presença de mais pilotos. Aos poucos, a maior parte do grid deixava os boxes para a sequência dos trabalhos no circuito Albert Park.

Verstappen em ação no segundo treino livre do GP da Austrália (Foto: Red Bull Content Pool)

Ricciardo subia para segundo lugar ao marcar 1min27s025. Grosjean melhorava seu tempo, permanecendo na ponta com 1min26s780. Mas o franco-suíço foi superado pouco depois por Felipe Massa. Depois de conseguir fechar o primeiro treino em sétimo lugar, o brasileiro continuava a mostrar bom trabalho com o novo Williams FW40 e, com pneus supermacios, anotou 1min26s367. Mas Felipe acabou sendo batido em seguida pela Mercedes de Lewis Hamilton. Com pneus macios, o tricampeão do mundo fez uma grande volta em 1min25s283.

Bottas fez sua primeira volta rápida em seguida. Mas, com pneus supermacios, o finlandês não conseguiu ser mais rápido que Hamilton e marcou 1min25s149. Segundos depois, o #77 acabou sendo batido por Kimi Räikkönen. Depois de um primeiro treino em que escondeu o jogo, a Ferrari mostrou serviço e se colocou na ponta com 1min25s087, também com supermacios, sendo 0s062 mais rápido que Bottas. E Sebastian Vettel, atrapalhado pelo tráfego, subia para o quarto lugar.

Em teoria, considerando os pneus em uso, Hamilton era o mais rápido na pista. Tanto que Lewis cravou 1min25s096 em nova volta com pneus macios, ficando a apenas 0s063 do tempo de Räikkönen. O 'Homem de Gelo', aliás, era alvo da reclamação de Lance Stroll, que se dizia atrapalhado pelo veterano da Ferrari. Massa, por sua vez, aparecia em sexto, entre as Toro Rosso de Carlos Sainz e Daniil Kvyat.


determinarTipoPlayer(“16172287”, “2”, “0”);

Vettel deu sequência ao seu stint de voltas rápidas com os supermacios e conseguiu encaixar uma boa volta, subindo para a ponta com 1min24s926, sacramentando uma momentânea dobradinha da Ferrari. O treino seguia seu curso até que, na última curva do circuito, Jolyon Palmer cometeu um erro, escapou de traseira e acertou seu Renault na barreira de pneus. Primeira bandeira vermelha da temporada 2017 da F1.

A sessão foi retomada quando restavam 57 minutos para o fim. Alonso se preparava para finamente completar suas primeiras voltas no período da tarde, enquanto Vettel deixava os boxes com pneus ultramacios. Minutos depois, quando ocupava a oitava posição no treino, Massa enfrentou problemas no câmbio do seu FW40 e encostou na área de escape da curva 10. Era o fim da participação do brasileiro nesta sexta-feira na Austrália. Sem problemas, Verstappen subia para a segunda posição, enquanto os dois carros da Mercedes aceleravam com os pneus ultramacios.

Felipe Massa enfrentou problemas no câmbio durante o segundo treino na Austrália (Foto: Reprodução)

Bottas completou sua volta primeiro e cravou 1min24s176. Em seguida, Hamilton enfiou quase 0s5 em relação ao novo companheiro de equipe e marcou 1min23s620, ficando muito perto do recorde da pista, que foi registrado por Vettel em 2011 com a Red Bull: 1min23s529. Vettel avançava para a segunda posição pouco depois, também com pneus ultramacios.

Räikkönen vinha em quarto lugar, quase 0s4 atrás do tempo de Vettel. Ricciardo aparecia em quinto, à frente do seu companheiro de equipe, Verstappen. Sainz continuava a mostrar bom desempenho com a Toro Rosso e era o sétimo, superando Grosjean, que continuava enfrentando problemas nas frenagens. Hülkenberg e Kvyat completavam o rol dos dez primeiros colocados. A Toro Rosso colocava seus dois carros à frente dos pilotos da Force India.

Na fase final do treino, a maior parte das equipes optou por avaliar os novos carros em ritmo de corrida, de modo que poucos pilotos conseguiram melhorar seus tempos de volta nos minutos derradeiros. Alonso era um dos destaques no pelotão intermediário, se colocando entre os competidores da Force India, em 12º, atrás de Pérez e à frente do novato Esteban Ocon. Por sua vez, Vandoorne vinha apenas em 17º. Sainz também se destacava com um forte ritmo e conseguia a proeza de andar no mesmo décimo de Verstappen, da Red Bull. E, nos últimos instantes, Marcus Ericsson rodou na saída da curva 6 com sua Sauber.

No fim das contas, a tarde sacramentou o domínio da Mercedes e, sobretudo, de Hamilton, que começa o fim de semana de abertura da temporada 2017 da melhor forma: bem à frente dos rivais e comprovando que entra no campeonato como franco favorito ao título.

Ele vai para sua 11ª temporada na #F1 e vai ter de suar muito para ir atrás do tetracampeonato. Com o novo regulamento, a Mercedes vê a aproximação de Ferrari e Red Bull. Lewis Hamilton é o favorito a vencer a batalha da temporada?  #ForeverFaster #PumaMotorsport
Acesse o Shop Puma e veja as novidades da equipe Mercedes AMG 

F1, GP da Austrália, Melbourne, Treino Livre 2:

1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES   1:23.620   34
2 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI   1:24.167 +0.547 35
3 77 VALTTERI BOTTAS FIN MERCEDES   1:24.176 +0.556 24
4 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI   1:24.525 +0.905 30
5 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL TAG HEUER   1:24.650 +1.030 27
6 33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL TAG HEUER   1:25.013 +1.393 8
7 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT   1:25.084 +1.464 34
8 8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS FERRARI   1:25.436 +1.816 28
9 27 NICO HÜLKENBERG ALE RENAULT   1:25.478 +1.858 36
10 26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO RENAULT   1:25.493 +1.873 39
11 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES   1:25.591 +1.971 35
12 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA   1:26.000 +2.380 18
13 31 ESTABAN OCON FRA FORCE INDIA MERCEDES   1:26.145 +2.525 37
14 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES   1:26.331 +2.711 5
15 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI   1:26.498 +2.878 29
16 18 LANCE STROLL CAN WILLIAMS MERCEDES   1:26.525 +2.905 27
17 2 STOFFEL VANDOORNE BEL McLAREN HONDA   1:26.608 +2.988 33
18 94 PASCAL WEHRLEIN ALE SAUBER FERRARI   1:26.919 +3.299 30
19 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN HAAS FERRARI   1:27.279 +3.659 8
20 30 JOLYON PALMER ING RENAULT   1:27.549 +3.929 4

Os pneus são…
macios supermacios | ultramacios

PADDOCK GP #70 FAZ PRÉVIA DE ABERTURA DAS TEMPORADAS DE F1 E MOTOGP E LEMBRA PACE

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube